segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

"Não há nada no mundo, nem recompensa, nem castigo, o que há são consequências." Será?

Por Ana Chagas


Lendo apenas de relance este texto da imagem podemos até concordar: "Não há nada no mundo, nem recompensa, nem castigo, o que há são consequências." (Robert G. Ingersoll- um crítico da religião cristã e que tornou-se agnóstico cf. http://pt.wikipedia.org/wiki/Robert_Green_Ingersoll
 
Porém, observando com cuidado as Escrituras, chegamos à conclusão de que:

a) Existe castigo: (Jeremias 11.22 é um exemplo); neste contexto Deus traz juízo sobre o povo de Judá que permanece no pecado de forma deliberada; ou seja, rebelde; e que não se arrepende. OBS.: Este juízo (castigo) do qual lemos este exemplo é algo que ocorreu a pessoas enquanto ainda estavam neste mundo, e aconteceu de forma visível a todos, até mesmo para testemunho. Porém, juízo (castigo) maior ainda está por vir sobre aqueles que rejeitam a Deus: 
"Portanto, qualquer que me confessar diante dos homens, eu o confessarei diante de meu Pai, que está nos céus.Mas qualquer que me negar diante dos homens, eu o negarei também diante de meu Pai, que está nos céus." (Mateus 10:32-33);  
"Nem presta para a terra, nem para o monturo; lançam-no fora. Quem tem ouvidos para ouvir, ouça." (Lucas 14:35);  
"E separá-lo-á, e destinará a sua parte com os hipócritas; ali haverá pranto e ranger de dentes." (Mateus 24:51); 
"Ali haverá choro e ranger de dentes, quando virdes Abraão, e Isaque, e Jacó, e todos os profetas no reino de Deus, e vós lançados fora." (Lucas 13:28);  
"Derrama o teu furor sobre os gentíos que não te conhecem, e sobre os reinos que não invocam o teu nome." (Salmos 79:6);  
"E não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma; temei antes aquele que pode fazer perecer no inferno a alma e o corpo." (Mateus 10:28);

b) Existe recompensa: (Provérbios 11.31 é um exemplo); OBS.: Haverá recompensa, ou seja, galardão para  todos os justos justificados pela Graça do Senhor mediante o sacrifício de Cristo, sacrifício este que alcança os salvos que viveram na antiguidade (sendo eles gentíos ou dos que fazem parte do remanescente de Israel) que leram, ouviram e creram no SENHOR e na promessa de que Ele enviaria O Messias,  e a nós que vivemos nestes últimos dias, que não O vimos, mas cremos.

E esta recompensa tem dois aspectos:
1º) A Graça dispensada apenas aos eleitos de Deus- Ele nos escolheu e nos alcançou por Seus próprios méritos na cruz, o preço foi o Seu Sangue, e não nossas boas obras: 
"Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie;" (Efésios 2.8-9).

2º) Obras justas dos justos justificados pela Graça- ou seja, os que Ele chamou e salvou, estão agora aptos a realizarem obras justas; pois as obras que considerávamos justas enquanto permanecíamos em pecado e rebeldia contra Ele, Ele mesmo as chama de trapos de imundícia: 
"Filho do homem, quando a casa de Israel habitava na sua terra, então a contaminaram com os seus caminhos e com as suas ações. Como a imundícia de uma mulher em sua separação, tal era o seu caminho perante o meu rosto." (Ezequiel 36:17); 
e: "Mas todos nós somos como o imundo, e todas as nossas justiças como trapo da imundícia; e todos nós murchamos como a folha, e as nossas iniqüidades como um vento nos arrebatam." (Isaías 64:6); porém o Senhor promete purificar os que são seus por meio da aspersão do sangue de Cristo. Leiamos estas promessas: 
"Então aspergirei água pura sobre vós, e ficareis purificados; de todas as vossas imundícias e de todos os vossos ídolos vos purificarei." (Ezequiel 36:25);  
"Eis que o meu servo procederá com prudência; será exaltado, e elevado, e mui sublime. Como pasmaram muitos à vista dele, pois o seu parecer estava tão desfigurado, mais do que o de outro qualquer, e a sua figura mais do que a dos outros filhos dos homens (falando acerca da sua paixão, morte e ressurreição). Assim borrifará muitas nações, e os reis fecharão as suas bocas por causa dele; porque aquilo que não lhes foi anunciado verão, e aquilo que eles não ouviram entenderão." (Isaías 52:13-15). 
As obras dos justos são recebidas pelo Pai:  
"E foi-lhe dado que se vestisse de linho fino, puro e resplandecente; porque o linho fino são as justiças dos santos (os filhos de Deus)." (Apocalipse 19:8)
A recompensa dos justos está guardada com o Pai, e só a conheceremos em sua plenitude quando estivermos com Ele: 
"Mas o justo viverá pela fé; E, se ele recuar, a minha alma não tem prazer nele." (Hebreus 10:38); "E, eis que cedo venho, e o meu galardão está comigo, para dar a cada um segundo a sua obra." (Apocalipse 22:12)

Eis algumas das recompensas prometidas por Deus aos seus santos:
A) "Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: Ao que vencer darei eu a comer do maná escondido, e dar-lhe-ei uma pedra branca, e na pedra um novo nome escrito, o qual ninguém conhece senão aquele que o recebe." (Apocalipse 2:17);

B) "Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: O que vencer não receberá o dano da segunda morte." (Apocalipse 2:11);

C) "Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: Ao que vencer, dar-lhe-ei a comer da árvore da vida, que está no meio do paraíso de Deus." (Apocalipse 2:7);

D) "Então os justos resplandecerão como o sol, no reino de seu Pai. Quem tem ouvidos para ouvir, ouça." (Mateus 13:43)

E) "Quem vencer, herdará todas as coisas; e eu serei seu Deus, e ele será meu filho." (Apocalipse 21:7);

F) "Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: O que vencer não receberá o dano da segunda morte." (Apocalipse 2:11) (ou seja, não será condenado ao inferno e finalmente ao lago de fogo e enxofre, e não ficará eternamente longe de Deus;sem ter chance de voltar).

G) "E ao que vencer, e guardar até ao fim as minhas obras, eu lhe darei poder sobre as nações, E com vara de ferro as regerá; e serão quebradas como vasos de oleiro; como também recebi de meu Pai. E dar-lhe-ei a estrela da manhã. Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas." (Apocalipse 2:26-29).


E, finalmente:
c) Existe consequência: (provérbios 10.16, e 2 Samuel 12.1-25 são dois dos exemplos). Uma observação acerca desta última referência, a qual relata o pecado de Davi, e a forma como Deus o repreendeu: Deus repreende a Davi; Davi se arrepende, pede perdão sinceramente; Deus o perdoa. Porém, as consequências, Davi teve que sofrer.  
"Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará." (Gálatas 6:7).

O castigo ou a recompensa, de fato acabam sendo consequências de algo que lhes antecede, porém, não necessariamente uma ação humana, mas pode se tratar também de uma ação divina.

No caso da Obra da salvação Deus faz tudo: O Pai elege, O Filho se entrega em sacrifício perfeito e suficiente, e o Espírito Santo regenera e conduz o homem à santificação que desembocará na glória do Filho, que é O propósito de Deus.

Já no caso da Condenação ao inferno para os ímpios, ela é consequência da rebeldia do homem e da sua permanência deliberada em pecar contra Deus, sem arrependimento nem temor. E a ação de Deus no Dia do Juízo Final acerca deste homem, nada mais é,do que apenas o cumprimento de tudo que o próprio Deus já havia dito ao homem que aconteceria caso ele não se arrependesse e voltasse para Deus: "Mas qualquer que me negar diante dos homens, eu o negarei também diante de meu Pai, que está nos céus." (Mateus 10:33)

"Porque do céu se manifesta a ira de Deus sobre toda a impiedade e injustiça dos homens, que detêm a verdade em injustiça.
Porquanto o que de Deus se pode conhecer neles se manifesta, porque Deus lho manifestou.
Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis;
Porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu.
Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos.
E mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, e de aves, e de quadrúpedes, e de répteis.
Por isso também Deus os entregou às concupiscências de seus corações, à imundície, para desonrarem seus corpos entre si;
Pois mudaram a verdade de Deus em mentira, e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador, que é bendito eternamente. Amém.
Por isso Deus os abandonou às paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza.
E, semelhantemente, também os homens, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, homens com homens, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro.
E, como eles não se importaram de ter conhecimento de Deus, assim Deus os entregou a um sentimento perverso, para fazerem coisas que não convêm;
Estando cheios de toda a iniqüidade, fornicação, malícia, avareza, maldade; cheios de inveja, homicídio, contenda, engano, malignidade;
Sendo murmuradores, detratores, aborrecedores de Deus, injuriadores, soberbos, presunçosos, inventores de males, desobedientes aos pais e às mães;
Néscios, infiéis nos contratos, sem afeição natural, irreconciliáveis, sem misericórdia;
Os quais, conhecendo o juízo de Deus (que são dignos de morte os que tais coisas praticam), não somente as fazem, mas também consentem aos que as fazem." (Romanos 1:18-32)

Pensemos nestas verdades.

Deus nos abençoe!

Nenhum comentário: