sábado, 16 de março de 2013

Devocional: A integridade do cristão: Um desafio constante

Por Ana Chagas


"Guia-me pelas veredas da justiça por amor do seu nome." (Salmo 23.3b)

Deus é quem nos guia e orienta a que sejamos íntegros em meio a um mundo em que ser corrupto e desonesto é moda. Todo aquele que já andou de forma errada, que fez coisas desagradáveis aos olhos de Deus e que não honrava a Deus em suas atitudes; quando passa a ser, de fato, guidado por Deus; passa a ter vergonha e asco pelas práticas anteriores, e tudo o que mais deseja agora é glorificar a Deus, tanto em espírito como por meio do corpo e do seu testemunho de verdadeiro cristão.

Quando as coisas vão mal, mas tão mal que você olha para todos os lados e não vê solução, fique alerta! Pois é justamente nessas horas que as oportunidades e convites do Diabo e do seu próprio EU para se corromper são mais latentes. Vigiemos, porque Deus permite que passemos por certas situações para provar a nossa fé e a nossa fidelidade a Ele. 

A Justiça de Deus nos constrange, pois Ele mesmo diz: "Portanto,santificai-vos, e sede santos, pois eu sou o Senhor vosso Deus." (Lv 20.7).
Não somente em nossos dias, mas desde a antiguidade, ou seja, desde que o pecado encontrou lugar no coração do homem, a corrupção tem sido um grande problema para a humanidade. Vivemos em um mundo que, infelizmente, está se "acostumando" com a corrupção, com a desonestidade, com a injustiça social, etc. Nós cristãos, não podemos nos amoldar a este sistema. Pelo contrário, precisamos andar na contra-mão dele. Esta Palavra não é apenas para jovens (Sl 119.9; 1 Tm 4.12), mas é também para adultos (Tiago 1.12; Sl 84.5; Sl 112.1; Sl 32.2; Pv 28.14).
Quando surge um momento de grande dificuldade, e surgem as tentações- ofertas vindas de fora (mundo/sistema corrupto) e de dentro (o nosso próprio EU clamando por seus desejos e necessidades supridos em tempo hábil), é exatamente neste momento em que precisamos colocar em prática a força recebida continuamente por quem tem uma vida de comunhão íntima com Deus mediante uma diligente vida devocional (Leitura diária e Oração constante) e rejeitarmos estes apelos, estas ofertas. Somente fortalecidos em Deus poderemos ter discernimento para saber responder com firmeza aos apelos de fora: "Esta oportunidade não vem de Deus"; pois, nem toda a porta que se abre diante de nós e é agradável aos nossosolhos é Deus quem está abrindo. Tenhamos cuidado! E aos apelos internos/ de dentro: "Eu, de fato, não preciso disso. O meu Deus, em Cristo, suprirá todas as minhas necessidades"/ "Eu preciso contentar-me com o que tenho; estar feliz em quaisquer situações; porque eu posso todas as coisas naquele que me fortalece". Muitos tem interpretado este último texto a seu bel-prazer, como lhes é conveniente onde ele passa a corroborar com suas pregações de Teologia da Prosperidade,que nada tem a ver com a Doutrina Bíblica de prosperidade dos que de fato servem a Deus e tem seu tesouro guardado no céu e não na terra. Porém, Paulo quis dizer: "Não importa se eu tenha que passar situações maravilhosas ou de grande bonança e, em outros momentos, situações caóticas, de extrema necessidade: Posso suportar tudo isso em Deus, pois é Ele quem me fortalece (Filipenses 4.13).

Deus é o seu tudo? Amém? Ele torna a sua vida completa? Amém? Pois, bem. Se Deus é para nós aquilo que afirmamos em nossas orações e em nossas canções (não podemos ser hipócritas); Ele, de fato, deve ter em nosso coração este lugar de primasia. Quando as nossas necessidades básicas ou secundárias são os guias de nossas atitudes, estamos sendo incoerentes e infiéis ao Senhor. 
Jesus mesmo ensina, relembrando e resumindo os 10 Mandamentos: "Amarás ao Senhor, teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, e de todas as tuas forças; este é o primeiro mandamento." (Lc 12.30). 
Jesus não nos chamou e justificou para que nos coloquemos debaixo do julgo de nossa velha natureza, a qual tem fome de tudo quanto é temporal e passageiro,mas para que os nossos olhos estejam agora nas coisas do céu; e para que andarmos em novidade de vida.
Se Deus é verdadeiramente o SENHOR de nossos corações, então, não nos deixaremos levar pelas tentações que nos sobrevêm para que desejemos de forma desenfreada o que é terreno, o que deve ser secundário e para que mantenhamos o nosso coração no mundo e não nos céus. Como o próprio Senhor Jesus nos ensinou em Mateus 6.19-34: "Onde estiver o vosso tesouro, aí estará o vosso coração." Se Ele é o SENHOR de nossas vidas resistiremos e as venceremos no Poder de Deus-Espírito Santo; o qual é o nosso guia, o noso ajudador, a quem seja glória e honra para sempre.

A corrupção e a desonestidade viraram moda, mas nós que não somos do mundo, devemos continuar sendo antiquados, quadrados, não importa como o mundo queira nos chamar; mas estejamos dentro da vontade de Deus, o qual é Puro, Santo Reto e Justo em todos os seus caminhos, nos quais quer guiar-nos.

 

Nenhum comentário: