terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Pela vivência do cristianismo sério e autêntico

Por Ana Chagas



É triste quando o crente desvia o seu olhar das coisas do céu e começa a encantar-se pelas coisas do mundo. Ele começa a achar que tudo é "normal", e até passa a interpretar a Palavra ao seu próprio modo, chegando até a dizer: "Não é bem isso que a Bíblia quis dizer; as pessoas é que são muito radicais em sua interpretação.” Mas sabemos que na verdade isto é uma artimanha da nossa natureza pecaminosa; e que a Bíblia tem uma única interpretação, e que a mesma não negocia o que alguns acham conveniente ou não para eles, ela é pura e verdadeira.


Lembremo-nos da estratégia da Serpente no Jardim do Édem. Ela repetiu palavras que Deus havia dito, porém, as distorceu, lançando dúvidas na mente da mulher, não apenas acerca do genuíno sentido delas; mas também acerca do caráter do próprio Deus, passando Eva a pensar que Deus apenas estava os impedindo de ser como Ele; e surgiu nela o desejo de "ser como Deus"; então veio a queda do homem, se consumando na participação daquele que havia recebido a ordem "Mas deste fruto não comerás". Mas havia um detalhe: Deus, mesmo conhecendo o mal não se corrompe; o homem, porém, é limitado e ao passo que conheceu o mal foi imediatamente contaminado e corrompido por ele; e grande e terrível foi a consequência disso para o homem, para a mulher, para a natureza e na sequência inevitável, para toda a humanidade.


A Bíblia nos ensina: "Não ameis o mundo (sistema pecaminoso dominado pelo maligno) nem as coisas que no mundo há. Se alguém ama o mundo o amor do Pai não está nele." (1 João 2.15). A Palavra ainda continua dizendo que aquele que se constitui amigo do mundo, constitui-se inimigo de Deus. Ou seja, não há como ser crente e continuar amando e se rendendo ao desejo pelas coisas do mundo.
Em cada época na história da humanidade, homens e mulheres fiéis se defrontaram com grandes tentações, só que estas tinham uma camuflagem diferente das que vemos hoje; mas aqueles homens e mulheres guardavam a Palavra fiel em seus corações para não pecar contra Deus. E os que quiseram se apartar da Palavra, levantaram para si falsos mestres, ou a si mesmos se fizeram Mestres e Profetas que começaram a dizer: "Não é bem assim que está escrito"; passando, então, a divulgar suas interpretações confortáveis a si mesmos, e a viver de forma rebelde diante de Deus. 


Há muitas práticas em nossos dias que tem nome de "boas”, mas que são abomináveis aos olhos de Deus. Muitos dizem que têm um "filtro" e que só absorvem aquilo que é "bom" do que assistem, do que ouvem em seus fones de ouvido de um lado para o outro; do que ouvem de seus "amigos" em suas rodas de conversa, daquilo que vêem na internet, etc. Há atitudes que têm sido geradas em muitos crentes justamente como resultado de uma alta absorção de lixo áudio-visual, e que têm acarretado o teor das postagens de muitos destes crentes em seus perfis nas redes sociais.


Há um filme que tem como título "Em seus passos, o que faria Jesus?" o qual se aplica muito bem nesta palavra que quero trazer. Será que Jesus postaria em seu Facebook fotos dele seminú? ("Mas naquela foto eu estava na praia, é normal, é roupa de praia...").  Precisamos considerar algumas questões: Em primeiro lugar,  tanto os rapazes quanto as moças crentes devem ter prudência quanto ao que vestem, mesmo que seja na praia. Ainda mais agora, que até a foto de um espirro que alguém dá vira uma postagem na internet. Lembremo-nos que a Internet adentra na casa das pessoas, no quarto delas, enfim. Você entraria na casa dos irmãos da igreja de biquíni? Sentaria no sofá destes irmãos e ficaria conversando vestida assim? Pois, reflita e conclua que quando você posta esse tipo de foto é isso que você está fazendo, se expondo seminua publicamente num ambiente que não é apenas "a praia". Será que o Senhor Jesus aprovaria este comportamento? A serva de Deus deve ser, acima de tudo, uma mulher sábia e prudente. E esta sabedoria e prudência não são esperadas apenas das mulheres casadas, mas das mulheres de modo geral. Em segundo lugar, pessoas não-crentes que se expunham demais na internet colheram frutos amargos por esta exposição não pensada; e que diremos das crentes? A internet é como um vento, se você soltar as penas de um travesseiro nela, jamais poderá trazê-las todas de volta.


A pornografia é outro terrível problema que tem dominado muitos crentes, desde a pré-adolescência até a idade adulta; que se apoiam na velha desculpa: "Eu sei o que devo acessar ou não; eu sei filtrar", etc. Além disso, muitos pais não têm vigiado seus filhos pequenos nem os preservam enquanto ainda podem. Levados pela ideia secular de que os pais têm que respeitar a privacidade dos filhos acima de tudo, muitos estão entregando seus filhos nas garras do Diabo. Os pais não podem se esquecer da grande responsabilidade que lhes é entregue por Deus ao dar-lhes um filho. “Ensina a criança no caminho em que deve andar, e quando for velho, não se desviará dele.” (Pv 22.6). Os filhos são ensinados pela orientação dos pais e principalmente pelo exemplo deles. Lembremo-nos: “Em seus passos, o que faria Jesus?”


A Bíblia nos ensina: "Portanto, quer comais, quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para a glória de Deus." (I Co 10.31). Fica a pergunta para nós: "Será que o meu comportamento glorifica a Deus?". A Bíblia nos diz ainda: “Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos? Porque fostes comprados por bom preço; glorificai, pois, a Deus no vosso corpo, e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus” (I Coríntios 6: 19-20). Amados, pertencemos a Deus! Precisamos glorificá-lo com todo o nosso ser!O nosso ouvido tem que glorificar a Deus rejeitando certas músicas que são um verdadeiro lixo, ou ainda piadas maliciosas ou ainda aquelas que parecem inofensivas, mas que até blasfemam contra Deus e de sua Palavra. A nossa boca tem que glorificar a Deus não pronunciando palavras sujas e vulgares, ou ainda, não dizendo palavras que mais parecem pedras que derrubam aquele que está à beira do abismo; precisamos dizer apenas palavras edificantes, que são como uma corda, na qual aquele que está lá, à beira do abismo, possa se sustentar e conseguir sair e fincar os pés novamente firmes no chão, para a glória de Deus! A nossa mente também precisa glorificar a Deus em tudo, a todo segundo de nossa existência.  Em Romanos 12.1-2 Deus nos ordena que devemos ser transformados pela renovação da nossa mente, para que assim, possamos experimentar qual seja a boa, perfeita e agradável vontade de Deus. 

Mas como faremos isso? O salmista nos dá a resposta: “Como purificará o jovem o seu coração? Observando-o segundo a Tua Palavra.” (Salmo 119.9). O próprio Jesus, no Evangelho de João 17.17, orou ao Pai: “Pai, santifica-os na Verdade; a tua Palavra é a Verdade.” 


O que faremos diante do exposto pela Palavra de Deus? Continuaremos desprezando o verdadeiro sentido dos Preceitos do Senhor para as nossas vidas? Continuaremos sem tratar a Bíblia com a seriedade que lhe é devida? Continuaremos desprezando os alertas ali contidos quanto ao desprezo do verdadeiro conhecimento de Deus? Continuaremos interpretando-a conforme o nosso bel-prazer, conforme nos é conveniente? Será que queremos continuar vivendo um cristianismo raso, sem profundidade de comunhão com Deus e com sua a sua Palavra? Queremos ser crentes sem conteúdo que evidencie que a vida dinâmica de Cristo está em nós? 
Temos diversas oportunidades de glorificarmos a Deus no nosso dia a dia, inclusive a internet. O que faremos nós diante de tudo quanto temos recebido por meio da Palavra de Deus? Precisamos dar um “basta” na maneira como temos usado este breve tempo que vivemos aqui neste mundo;  não podemos viver de forma raquítica por falta do alimento espiritual que é a Palavra do senhor. Precisamos comer esta Palavra e aplicá-la de forma prática em nosso viver diário, e assim o Senhor será glorificado, e saberemos que o que estamos fazendo, Jesus também faria, pois estamos glorificando ao Deus-Pai.
Não estaremos vivendo de fato o cristianismo sério e autêntico enquanto não passarmos a odiar o mundo (sistema, e não pessoas) e o que nele há, assim como Deus. Lembremo-nos: Deus afirma em sua palavra que muitos o louvam com os lábios, porém, o seu coração está longe dele. (Isaías 29.13).

A santificação não é ingresso para a salvação, em hipótese alguma. Contudo, a Bíblia diz que sem ela ninguém verá o Senhor; o que nos leva a concluir que ninguém que esteja entre os salvos viverá de forma abominável a Deus, mas procurará sempre agradá-lo e glorificá-lo em tudo. Por isso, partindo do pressuposto de que o ímpio não anela pela santificação, somente os salvos, o Senhor diz em Apocalipse: "Quem for sujo suje-se mais ) e quem for santo, santifique-se mais, permaneça em santificação."