sábado, 20 de outubro de 2012

A falta de perdão e o crescimento dos desigrejados

Ana Chagas


"Olhando firmemente para o Autor e Consumador da nossa fé, Jesus, o qual, em troca da alegria que lhe estava proposta, suportou a cruz, não fazendo caso da ignomínia, e está assentado à destra de Deus." (Hebreus 12.2)

 Deus nos convoca para prosseguirmos, olhando para Ele, rumo à perfeição plena que só ocorrerá na glória, buscando a perfeição dentro de nossa limitação, mas com todas as nossas forças para agradar ao Senhor como servos salvos da sua ira; mas devemos fazer isso em meio à imperfeição. Os que param no caminho olhando para as pessoas é que saem no prejuízo.

Muitos por aí se isolam em mosteiros em busca de perfeição, mas o caminho é interagir, é brilhar onde quer que estejamos não nos isolarmos das outras pessoas. Não sabemos quem é salvo, ninguém traz isso escrito na testa, cabe ao Senhor fazer esta distinção no final de todas as coisas aqui. Devemos ser luz em casa, na igreja, no trabalho, na escola, por onde quer que andarmos. Talvez seja mais difícil brilhar em dois lugares, em casa, onde todos nos conhecem como realmente somos, e na igreja, onde muitas vezes sabemos que não somos perfeitos mas queremos exigir dos outros total perfeição; só em fazermos esta exigência,já deixamos de brilhar como deveríamos. Devemos ser bênção, ajudando os outros ao nosso redor a crescerem na graça e no conhecimento de Deus, edificando-nos uns aos outros como manda a Palavra de Deus. Mas como isso é difícil... Alguém já disse que há pessoas que deveriam se mudar para a igreja, pois lá elas são crentes de verdade. Mas lembrando do que acabamos de falar, às vezes as pessoas estão apenas com máscaras de santidade, e no seu interior cheio de rancor, falta de perdão para o irmão que falhou consigo, mas, aos olhos humanos está perfeito, não poderia estar melhor. Tenhamos cuidado com a hipocrisia, Deus sonda o coração do homem, e sabe da intenção de cada um. Queremos que a igreja seja perfeita? Busquemos nós mesmos ser a igreja perfeita de Cristo, e se cada um de nós tiver isso como propósito, como as coisas poderão ser diferentes!

Não sei como Deus encara a situação de um crente que sai de uma igreja aborrecido com outras pessoas e abre uma nova igreja e diz que foi Deus que mandou. Simplesmente penso que Deus não abençoa algo que Ele mesmo não ordenou que fosse de fato feito. Os argumentos humanos não satisfazem a Deus, pois Ele sonda cada coração. Se há falta de perdão, este irmão está em pecado, e precisa urgentemente se retratar com Deus e com o irmãos, ou com os irmãos. Quantos têm abandonado suas igrejas por causa de seu próprio pecado e não pelo pecado dos outros, que são, na verdade, apenas a causa secundária de sua revolta. Uma coisa é o que os homens vêem e outra coisa é o que Deus vê. 

Com Deus não se brinca, diz a Bíblia. Sejamos de fato cristãos, confessando, perdoando, sendo mais tolerantes para com os mais fracos, admoestando-lhes em amor, cheios da graça de Deus que não acrescenta dores. Cresce cada vez mais o número dos chamados "desigrejados", mas, reflitamos, essa atitude agrada a Deus? Deus nos chamou em primeiro lugar para sermos sua igreja, propriedade particular, povo exclusivo seu, a sua igreja invisível; porém, a igreja foi instituída para que ali nos reunamos e nos edifiquemos uns aos outros sob a ação do Espírito Santo que nos foi outorgado para o crescimento da igreja, para o fortalecimento nosso e dos nossos irmãos. Por mais que a tecnologia nos ofereça um menu bem diversificado de teologias e cultos ao vivo ou pregações em áudio, nada substitui o aconchego da comunidade igreja, onde mutuamente somos instruídos e edificados; onde podemos exercer aquilo que aprendemos e somos mais desafiados a isso nas interações, nos relacionamentos, aprendendo a amar, respeitar, perdoar, exatamente no meio em que se pressupõe que todos têm que ser tão perfeitos. Isso, de fato é um grande desafio que nos está proposto. 
E então? Vamos fugir dele por causa dos nossos caprichos e do nosso orgulho ferido? Neguemo-nos a nós mesmos, crucifiquemos o nosso Ego, e vivamos de fato para Deus.
 

Nenhum comentário: