domingo, 19 de agosto de 2012

Como está a sua saúde?

Ana Chagas
 
Um famoso site que destaca as grandes descobertas científicas acerca do homem e do universo enviou para mim esta semana, via newsletter, um Artigo muito interessante que tinha como título: “Honestidade pode fazer bem à saúde”. Realmente, este é um tema relevante para os nossos dias, pois vivemos em uma sociedade, principalmente no Brasil, em que vale tudo para se dar bem, em que aquele famoso “jeitinho brasileiro” é extremamente valorizado; e que quem não faz isso é taxado de “boboca” , sociedade esta, em que a inofensiva mentirinha branca  “não tem nada de mais”; porque para grande parte destas pessoas “os fins justificam os meios”. Mas sabemos que não é bem por aí.
Algo interessante é que estudiosos dos EUA realizaram esta pesquisa com dois grupos, um ficou à vontade para mentir, o outro, fora instruído a que não mentisse, embora não terem sido fiéis ao combinado. Mas o que se notou ao final do estudo foi que o grupo que relatou ter mentido menos, ou quase nada, relatou também uma diminuição de incômodos físicos (tensão) e mentais (tristeza e apatia).
É sabido e comentado por muitas pessoas já há algum tempo que mágoas guardadas, perdão não liberado ao outro gera doenças graves e até mesmo fatais, na pior das hipóteses. Porém, o que considero interessante é que a Bíblia, um livro escrito há tantos anos, por homens inspirados por Deus no decorrer da história, já nos falava dos malefícios do pecado e dos benefícios de uma vida que condiz com os princípios divinos.Esta informação do site que recebi veio somente corroborar com o que já sabíamos a partir da Palavra de Deus.
Sabemos, entretanto, que a causa do sofrimento do homem, de modo geral, vem, não apenas a partir de um pecado cometido em nossa existência; mas já trazemos esta causa em nós desde a queda de Adão. Foi exatamente ali onde começamos a morrer. Em Adão, passamos a envelhecer, a adoecer e consequentemente, a morrer fisicamente, além do fato da morte espiritual já se cumprir em nós a partir daquele evento.  Isso mesmo! Estamos espiritualmente mortos, salvo quando somos alcançados por Cristo no decorrer da nossa existência; e, a partir deste evento maravilhoso, vivificados mediante sua morte vicária na cruz, podemos já desfrutar da salvação, embora ainda estando nesta natureza pecaminosa, podemos a partir daí, contar com a graciosa presença do Espírito Santo em nós, o qual é, como o próprio Jesus Cristo falou, o nosso “Guia”, ou seja, Ele é aquele que nos guia em direção à comunhão cada vez maior com Deus, até a nossa redenção, onde não haverá mais deficiência alguma, antes estaremos livres da presença do pecado, e poderemos, finalmente, servir a Ele em perfeição. É o Espírito Santo quem nos alerta acerca de nossos erros, quem nos dá condições de discernir qual seja a vontade de Deus para nós. Quando estamos alienados de Deus e de tudo quanto se refere a Ele, este processo não ocorre. O que pode ocorrer é uma busca humana por uma vida afastada de coisas que consideram ruins para a sua reputação e para a reputação de sua família. Mas, quando buscamos viver uma vida de santificação para com Deus, a nossa motivação não estará centrada em nós mesmos, ou no que os outros pensarão de nós; mas, agora, o que mais nos interessa, é o que Deus pensa de nós quando seus olhos nos observam; a nossa motivação será a de agradar-lhe unicamente por uma razão: porque Ele é digno, e porque buscamos, após a vivificação, cumprir o propósito dEle em criar-nos: glorificá-lo.

É neste processo de santificação que entra o pecar ou não pecar, o mentir ou não mentir. O Artigo que citei no início salientava a questão da mentira e da desonestidade, eu, porém, estou indo mais além, à luz da Bíblia, mostrando que a questão do pecado é muito mais devastadora do que parece aos olhos de muita gente. 
Quando conhecemos a Bíblia, e cremos, e somos regenerados pelo Senhor, algo acontece em nós, ou pelo menos deve acontecer; do contrário, algo está errado; e esta mudança a partir do que conhecemos deve ser evidenciada a todos, não é algo a se guardar, a se esconder, mas a espalhar, como a luz que Jesus disse que deve ser colocada no lugar mais alto da casa para que assim, ilumine a todos (Mt 5.15-16). Jesus resume a Lei em dois mandamentos. Alguns dizem que ali Ele estava invalidando ou desprezando a Lei, mas isso não procede, pelo contrário, Jesus mostra que quando amamos a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos; a partir deste fato, conseguiremos, seremos capazes de cumprir os demais mandamentos de Deus; pois, se amo o meu próximo, logo não serei falso, não mentirei, não roubarei, não serei egoísta, não o invejarei, não o matarei, enfim. E, se de fato amarmos a Deus sobre todas as coisas, logo, haverá em nós um ardente desejo de jamais desagradá-lo; sendo assim, não adoraremos falsos deuses, estátuas que não têm vida, não envergonharemos o Seu Nome. Estes dois mandamentos nos atraem para o centro da vontade de Deus.

A Palavra de Deus traz trechos riquíssimos que nos revelam o quanto Deus deseja e nos instrui a fazermos o que é eticamente correto diante dEle e diante das outras pessoas. Analisemos alguns destes:

“Adquire sabedoria, adquire inteligência, e não te esqueças das palavras daminha boca. Ouve filho meu, e aceita as minhas palavras, e se multiplicarão os anos da tua vida [...] porque são vida para os que as acham, e saúde para todo seu corpo.” (Provérbios 4.5,10 e 22) Ou seja, Deus nos mostra que uma vida de obediência nos fará viver mais tempo;do contrário, os problemas acarretados pela prática constante do pecado da mentira, do ódio, etc. adoecem-nos e, provavelmente, teremos uma expectativa de vida menor. Um exemplo disso vemos em Efésios 6.1-3, quando Paulo diz: “Filhos, sede obedientes a vossos pais no Senhor, porque isto é justo; honra a teu pai e tua mãe, que é o primeiro mandamento com promessa; para que te vá bem, e vivas muito tempo sobre a terra.” Em suma, dificilmente você vê um filho que serviu fielmente a Deus e foi obediente a seus pais, sendo morto no meio das drogas e no tráfico; pois acabam indo parar lá justamente por não terem dado ouvidos a seus pais (isso quando seus pais temem e obedecem a Deus também, pois hoje, para a nossa tristeza, há pais que cometem a maldade de colocar drogas na boca de seus filhos ainda bebês).

“Não sejas sábio aos teus próprios olhos, teme ao Senhor e aparta-te do mal. Isto será saúde para o teu interior, e medula para os teus ossos.” (Provérbios 3.7-8). O Senhor nos alerta de que a soberba é um mal terrível na vida de uma pessoa. Não esqueçamos de que foi pela soberba que o diabo foi condenado: “[...] para não suceder que se ensoberbeça e incorra na condenação do diabo.” (1 Tm 3.6B), estas palavras do Apóstolo Paulo encontram referência em Isaías 14.12, que diz: “Como caíste do céu, ó estrela da manhã, filho da alva! Como foste lançado por terra, tu que debilitavas as nações.” Tenhamos cuidado, pois é muito fácil cair nesta armadilha, e quando caímos, adoecemos por dentro e por fora. Estamos falando aqui da saúde do nosso corpo mortal; mas a coisa fica ainda mais séria quando começamos a pensar em tudo isso no âmbito eterno, pois a alma que o Senhor nos dá, esta é eterna, quer queiramos ou não, estaremos diante dele no dia final; e quer aceitemos crer ou não, a partir deste encontro, estaremos com Ele ou sem Ele para sempre. Isto é um fato urgente a se pensar.

“As palavras suaves são favos de mel, doces para a alma, e saúde para os ossos.” (Provérbios 16.24). “Há alguns que falam como que espada penetrante, mas a língua dos sábios é saúde.” (Provérbios 12.18). Há palavras suaves e palavras suaves. Há a palavra suave, mas cheia de falsidade; no entanto, a Bíblia se refere neste versículo às palavras cheias de sabedoria e prudência. A Palavra de Deus nos alerta de que não saia da nossa boca palavras torpes, mas, antes, palavras que venham a edificar aqueles que as ouvem (Efésios 4.29). Toda a palavra que dizemos que usa de má fé para com quem as ouve, com certeza, de alguma forma nos trará mal, pois temos algo que Deus nos concedeu chamado “consciência”, e, além disso, não estaremos acrescentando nada de positivo às outras pessoas, antes, estaremos enganando deliberadamente. O olho de Deus tudo vê, não podemos fugir da presença dele em momento algum (Salmo 139).
“O que prega a maldade cai no mal, mas o embaixador fiel é saúde.” (Provérbios 13.17). Quanto a este versículo podemos ficar bem atentos a pessoas que tem pregado um Evangelho diferente do Evangelho de Cristo; Evangelho este que tem levado multidões ao erro, e muitas vezes até ao pecado da idolatria a homens, ao dinheiro, a si mesmos, etc. A verdadeira saúde espiritual é ler a Bíblia e praticá-la, não apenas ouvir interpretações distorcidas e balançar a cabeça confirmando aquilo sem conferir na Palavra. Precisamos ser como aqueles cristãos de Beréia, que faziam isso até mesmo ao ouvir o Apóstolo Paulo (Atos 17.11).
Concluindo, podemos afirmar que todo tipo de pecado, ou seja, tudo aquilo que fere o Código da Santidade Deus, inevitavelmente trará prejuízos a quem comete e a quem é afligido pela mentira, pela falsidade, pela calúnia, pela trapaça, pela extorsão, pela exploração seja em que área esta possa ocorrer. E não apenas os pecados cometidos contra o nosso próximo nos adoecem física e mentalmente, mas também aqueles cometidos no nosso próprio corpo, como a prostituição, a fornicação, o adultério, que tanto é no corpo como contra o cônjuge, estes trazem consequências terríveis, difíceis de ser tratadas, pois acaba afetando muitos que estão diretamente ligados ao casal, como filhos e demais familiares. A Bíblia nos diz que o pecado cometido no corpo é uma afronta ao Espírito Santo, pois os que são regenerados passam a ser sua habitação, seu templo (1 Co 6.15-20; Rm 6; 2 Co 5.10).
Temos uma má notícia: O pecado já condenou o homem ao inferno, não há saída para o homem (Rm 3.23).
Temos uma boa notícia: Jesus morreu para que nEle pudéssemos ser reconciliados com o Pai e assim, podermos ser livres do poder do pecado aqui, e por fim, na eternidade, livres também da presença do pecado para sempre!
Leia com atenção este trecho das Escrituras Sagradas:
 
“Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo. E tudo isto provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por Jesus Cristo, e nos deu o ministério da reconciliação; Isto é, Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não lhes imputando os seus pecados; e pôs em nós a palavra da reconciliação. De sorte que somos embaixadores da parte de Cristo, como se Deus por nós rogasse. Rogamo-vos, pois, da parte de Cristo, que vos reconcilieis com Deus. Aquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus." (2 Coríntios 5:17-21).

Contudo, não quero aqui apregoar que crente não adoece, ou ainda, que crente não pode ter depressão, etc., como alguns fazem por aí. Não podemos nos esquecer de que há situações específicas em que o nosso Deus permite, em sua Soberania, que passemos por dores e tribulações, mesmo que não estejamos numa situação de pecado deliberados na ´presença dele; são situações que passamos e que não conseguimos compreender o "para quê", porém, mais tarde percebemos que foi para o nosso bem, para o nosso crescimento espiritual, como o exemplo de Jó e do Salmista (Jó 2. 7-8; 42.1-5; Sl 119.71). E, ao contrário do que muitos afirmam, um crente fiel pode adoecer, pode até mesmo morrer com graves enfermidades, se assim o Senhor permitiu, como por exemplo o caso do Profeta Eliseu (2 Rs 13.14), Timóteo (I Tm 5.23), Paulo também passou por dores que não sabemos definir o tipo e a intensidade, porém, presumimos que era terrível a sua situação, e por permissão divina (2 Co 12.7-9), não cabe a nós questionarmos ao Senhor quanto a estas questões, pois, na verdade, todos estamos sujeitos a adoecer, pois ainda estamos nesta carne, mas há casos em que o Senhor nos livra, nos cura, e até nos ressuscita, basta estar em sua Vontade fazê-lo; Ele se revela também como o Deus que faz a ferida e o mesmo que a faz sarar. A questão aqui é o fato de estas situações se agravarem em nós quando permanecemos em pecado deliberado contra Deus, sem arrependimento, sem confissão, sem fé, sem deixar e mudar de atitude; isso pode levar-nos a um estado terrível de enfermidade física, e já demonstra o estado lastimável em que estamos espiritualmente.

Deixemos, pois, a prática deliberada do pecado! Busquemos servir fielmente ao Senhor! Clamemos a Deus neste momento como clamou o rei Ezequias, que clamou por cura física, mas clamemos por cura física, mental e espiritual:

“Senhor, por estas coisas se vive, e em todas elas está a vida do meu espírito, portanto cura-me e faze-me viver. [...] Eis que foi para a minha paz que tive grande amargura, mas a ti agradou livrar a minha alma da cova da corrupção; porque lançaste para trás das tuas costas todos os meus pecados."(Isaías 38:16-17).

Queremos viver tendo menos dores, menos enfermidades? Rejeitemos, pois, tudo aquilo que trará mal a nós e ao nosso próximo, e abracemos tudo quanto agrada a Deus.

Deus nos abençoe!

sábado, 11 de agosto de 2012

Por que Deus ainda permite a ação do Diabo no mundo?


Às vezes pessoas nos perguntam: Porque Deus permite que o Diabo ainda cometa tanta maldade no mundo? Porque Deus ainda não deu um basta à ação dele e dos seus demônios?
Nos deparamos não raramente com esses questionamentos. O que podemos responder está escrito nas Escrituras Sagradas onde o Senhor deixa claro para nós algumas verdades:

1- Lúcifer pecou e foi precipitado do Reino de Deus (Ezequiel 28.13-19);

2- Ele tornou-se o inimigo de Deus e de tudo quanto Deus havia criado (I Pedro 5.8); por isso ele não cessa de tentar matar, roubar e destruir as vidas, as quais serão condenadas e irão ao inferno juntamente com ele (João 10.10)

3- A queda do homem não significou a vitória do Diabo- Adão pecou, estimulado por Eva, a qual, instigada pela serpente (o diabo) já havia desobedecido a Deus, e como consequência da sua desobediência veio então o seu total afastamento de Deus juntamente com toda a humanidade que ainda viria a existir. Porém, isso não significou que o diabo prevaleu contra Deus; mas significou que o seu cruel desígnio de destruir definitivamente o Propósito de Deus em relação ao homem, foi frustrado; pois naquele mesmo momento, o Senhor Deus expôs o Seu Santo Decreto- revelou o seu Plano Redentor para o homem, o qual Ele criou para o louvor da sua Glória, e revelou ainda a derrota de Satanás; que desde aquele dia, já está marcada por Deus(Gênesis 3.15).
Quando Deus se dirigiu à serpente (satanás) se referindo à semente da mulher, Ele se referia a Cristo, que no tempo, também marcado e determinado por Deus, viria, nascido de mulher, encarnando-se em forma humana, para expiar o nosso pecado, enraizado em cada umde nós desde Adão (João 1.1-5 e 1.10-14; Gálatas 4.4-5;I João 3.8 ).
Quando o Senhor Deus disse que a serpente feriria o calcanhar da semente da mulher, referia-se ao sofrimento de Cristo até a Cruz (Isaías 53.5-12) E quando o Senhor mencionou que a semente da mulher (JESUS) esmagaria a cabeça da serpente (Gênesis3.15)decretou que o dia da vitória da semente da mulher (JESUS) já estava também determinado por ELE. Em Mt 22.44 e Sl 110.1-4 está escrito: "Disse o Senhor -Deus Pai ao meu Senhor- Jesus Cristo- Deus Filho: Assenta-te à minha direita, até que eu ponha os teus inimigos por escabelo de teus pés." (Hebreus cap.1.13 e cap.10. 13-14).

4- Deus estabeleceu tempos e épocas para que os seus propósitos sejam estabelecidos ( Eclesiastes 3.1;Atos 1.6-7), e nada nem ninguém pode interferir nos seus decretos, porque Ele, somente Ele é o Deus Soberano- Todo-Poderoso. Louvado seja o seu Nome!
Segundos antes de morrer lá na cruz, Jesus disse: "Está consumado" e entregando o espírito, expirou. Este fato marca exatamente o tempo determinado por Deus para o triunfo de Cristo e para a humilhação pública dos principados e potestades do mal, com o objetivo de nos tornar de novo seus filhos.(Cl 2.15). Jesus morreu, ressuscitou e voltará- no tempo marcado por Deus, numa hora em que ninguém sabe- para efetivar a derrota de Satanás e consumar totalmente a nossa redenção, quando, enfim, estaremos para sempre com Ele (I Ts 4. 16-18; Atos 1. 9-11; Mateus 24.27 e 35).

5- O Diabo tem total consciência de que o seu tempo para agir aqui na terra é limitado (Apocalipse 12.12); e por isso, apressa-se em destruir cada vez mais vidas, e tenta levar tantos quantos conseguir para a condenação ao inferno consigo (Ezequiel 28.16-19; II Pedro 2.4 e 9;Mateus 25.41; Apocalipse 20.10 e 14).


Após estas considerações- que não são considerações meramente humanas, mas, comprovadas pela Palavra de Deus- que é Fiel e digna de toda aceitação (I Timóteo 4.9); devemos compreender que a maldade no mundo tem se multiplicado e, que o cálice da Santa ira de Deus em relação ao pecado, está prestes a transbordar (Apocalipse 16.19). Que o tempo está se cumprindo, todos os sinais anunciados por Cristo em relação à sua Vinda são bem perceptíveis no mundo: Guerras; rumores de guerras; fomes, pestes- novos e resistentes vírus, terremotos em vários lugares, etc. Ele também confortou a todas as suas ovelhas (tanto daquela época e as dos dias de hoje, através da sua Palavra)dizendo: "É necessário que tudo isso aconteça, mas ainda não é o fim."(Mateus 24. 5-8).
Devemos despertar, no tempo que se chama hoje ( Hebreus 3.13), e correr para os pés do Senhor, buscando a nossa reconciliação com Ele enquanto é dia. O Senhor também falou: " Passarão os céus e a terra, mas as minhas Palavras não passarão." (Mateus 24.35).
Gostaria que você respondesse uma pergunta a si mesmo: "Se você for dormmir hoje e não acordar mais para este mundo, você tem certeza do lugar onde passará a eternidade?" (João 1. 1-14)- Você pode começar a gozar da alegria da salvação desde já, ao lado do Senhor Jesus, pois isso Ele nos garante (Jo 5.24)basta crermos e deixarmos que Ele aja na nossa vida.
As guerras não pararão, pelo menos é o que sabemos; mas nós, verdadeiros discípulos de Cristo, continuaremos a gozar da Sua Santa Paz, mesmo em meio a tantas lutas e tribulações, pois Ele nos garantiu: "Deixo-vos a PAZ, a minha PAZ vos dou, não a dou como o mundo a dá." (João 14.27)
Quanto ao diabo, não devemos ignorar a sua existência, nem a sua sutileza ao lançar dos seus ardis, de seus dardos inflamados contra as nossas vidas. Também não podemos generalizar que o culpado de todo o mal que nos sobrevém é o diabo. Pois; na verdade,temos dado uma grande contribuição contra o pecado quando cedemos às tentações, quando damos ênfase às obras da carne,quando permitimos que as idéias, as filosofias do mundo venham nos influenciar etc.(Lamentações de Jeremias 3.39;Gálatas 5.16-17)
É, portando, necessário, buscarmos ao Senhor, reconhecendo o nosso pecado, e clamando a Jesus para que nos salve, para que nos sutente e nos abrigue "à sombra das suas asas" (Salmos 91.1 e 4).
Devemos, portanto, entender a Soberania de Deus, e submeter-nos ao seu senhorio. "Nem sempre teremos todas as respostas aos nossos infinitos questionamentos; mas ser cristão é exercer fé, confiar naquele que tem o controle de tudo em suas mãos, mesmo que não compreendamos seus desígnios de forma clara; pois para o cristão, o futuro não é algo incerto, obscuro, mas é poder desfrutar desde o presente das promessas reservadas para nós no futuro- no Santo tempo de Deus."

Peça ao Senhor que perdoe os teus pecados, que lave a tua vida no sangue do seu Filho- Jesus, que é o principal; e assim terás o teu nome escrito no Livro da vida; só através de Jeus Cristo poderás obter a Salvação e estar na eternidade com Deus; onde estarás livre de todo pecado e de todo mal que agora opera neste mundo.

A letra deste Hino retrata muito bem a Mensagem que eu desejo passar para você:

GUERRA DE AMOR- THALYTA

Eu quero fazer uma guerra de amor
Onde a dinamite seja flor
Eu quero fazer uma guerra de Paz
Onde as pessoas lutem para se beijarem mais.
As balas de revólver seriam nossos corações
procurando entrar nos peitos
sem olhar qualidades ou defeitos
E os socos seriam trocados por boas ações
Eu queria fazer uma guerra desse jeito.
As metralhadoras seriam nossos braços
procurando ternos abraços
que trariam a tão sonhada calma
E os estouros de canhões
seriam estouros de paixões
despedaçando e abatendo nossas almas.

Sei que o mundo tem gosto de fel
Eu queria esta guerra aqui na terra
Mas eu tenho a certeza
que ela acontecerá no céu

sábado, 4 de agosto de 2012

A Teologia da Prosperidade e o desprezo aos pobres

 "Não excluas o pobre, porque é pobre, não oprimas o fraco à porta da cidade. (Provérbios 22:22)


A ploriferação da teologia da prosperidade tem tomado proporções cada vez mais catastróficas. Nesses últimos dias soubemos de novos dados acerca do crescimento do número de evangélicos em nosso País. Porém, os líderes católicos alegam que o número de católicos praticantes tem aumentado cada vez mais
Contudo, glorificamos a Deus porque Ele tem arrebanhado as suas ovelhas. Sim, porque bem sabemos que em meio a tantos, Deus tem suas ovelhas.
É triste, mas temos que reconhecer que grande parte deste crescimento tem ocorrido em função de dois aspectos: o primeiro é o fato de que ser "gospel" está na moda no Brasil; há alguns anos atrás, no Brasil, se alguém dissesse que era crente, as pessoas arregalavam os olhos e o ridicularizavam, os crentes eram até chamados de "os bodes". Hoje as coisas estão bem diferentes. O segundo aspecto que tem favorecido este crescimento é justamente a onda da Teologia da Prosperidade. E são justamente estas igrejas que aparecem nos primeiros lugares de crescimento.

O que deve nos preocupar é exatamente esta questão. Cristo está às portas e vem buscar a sua igreja do meio das igrejas, porém, muitos estão distraídos com outras coisas que não a convicção de salvação, que não uma vida genuína de santidade e serviço ao Senhor. Muitos enchem a boca e dizem: "Sou servo do Senhor", porém, a maneira que se dirigem a Deus em suas orações negam que realmente se sintam servos em algum momento, pelo contrário, sentem-se como senhores de um Deus que, segundo eles, pode ser manipulado ao bel-prazer dos homens gananciosos por fama, status social, dinheiro e bens que o façam ter destaque no meio em que vivem.
Este é o grande perigo dos nossos dias; por isso Jesus disse: "Quão dificilmente entrárá um rico no céu." (Lc 18.24), e ainda: " Quando o Filho do homem vier, porventura achará fé na terra? (Lc 18.8) e que fé é esta? A fé que salva, a fé que crê sem barganhas, a fé que reconhece o senhorio de Deus e a pequenez e total dependência do homem, a fé incondicional.
Chegamos a um ponto, onde alguns chamados "pastores, apóstolos, bispos, etc" estão ridicularizando aqueles que são pobres; ser pobre agora é doença, é algo inaceitável, ninguém mais aceita permanecer nesta condição e ainda, fomentam a acepção de pessoas, quando dizem que o pobre é aquele que está em pecado, e o que prospera materialmente é o que está dentro da vontade de Deus, estão criando um padrão para o crente, que , na visão deles, tem que ser próspero financeiramente, caso contrário, algo está errado com ele. E ainda, um indivíduo como este que prega neste vídeo, passa a humilhar publicamente os pobres. Penso como se sentiram os irmãos que estavam ali ouvindo aquelas asneiras; se é que ele já não espantou dos seus "cultos" todos os menos favorecidos com esse tipo de sermão. Pessoas assim precisam ler a Bíblia e aprender com Cristo. O nosso Senhor Jesus sempre estava entre os pobres, nasceu entre eles, não se esquivou deles,antes os amou e pregou para eles também, e ainda mostrou que os que tem fome e sede de justiça; ele diz que os que não têm a justiça de Cristo em suas vidas são estes os mais pobres dos homens; e não aqueles que sentem fome e sede físicas. Logo, a pobreza material não é o pior dos males, mas a fome e sede de Deus por toda a eternidade, mas estas pessoas hoje em dia estão buscando saciar sua fome e sede e ganância pelas coisas terrenas, efêmeras, e estão se esquecendo de buscar o reino do céu, e o que é o reino do céu em nós? É amarmos sem acepção, nos sentirmos menores em honra em relação ao nosso próximo, mesmo que ele seja o menos favorecido financeiramente; e não o colocarmos em situação constrangedora, como faz este "pregador" do vídeo abaixo. Para ele o pobre é um lixo. Mas o texto bíblico lido por ele, nos mostra que o nosso Deus apenas enfatizou que não se esquecessem dos pobres que havia dentre eles, que não fossem tão gananciosos a ponto de não cuidar dos menos favorecidos; pois Deus sabe do quanto o ser humano é mau e egoísta; foi, portanto, necessário que Deus ordenasse estas práticas, para preservar os mais pobres; daí a prova de que era interesse de Deus a existência deles, a preservação da vida e da integridade deles, etc. E jamais o nosso Deus incentivou ninguém a humilhar os outros pelo fato de serem pobres; Deus abomina a injustiça social (Is 1), Nos ordena a socorrê-los, a Bíblia nos relata grandes homens, profetas de Deus que morreram pobres e doentes, e nem por isso deixaram de ser prósperos, que eram mais prósperos até do que estes que hoje ostentam suas belas casas, seus belos carros de luxo, seu sucesso financeiro; homens dos quais o mundo não era digno, segundo diz a Bíblia, como o profeta Eliseu, por exemplo.

Peço a Deus que haja no Brasil o verdadeiro avivamento, pois o que há por aí não pode ser avivamento, mesmo que alguns chamem por este nome por causa de aumento numérico; pois entendemos biblicamente, que o verdadeiro avivamento produz frutos dignos de arrependimento, e não produz homens amantes de si mesmos, de seu próprio ventre, de seu próprio umbigo; mas seu fruto serão homens rendidos aos pés do Senhor, reconhecendo-o de fato como SENHOR e agindo como tal, e levando pessoas a serem servas e não senhoras de Deus.

Deus, aviva a tua obra no meio dos anos! (Habacuque 3.2)