quarta-feira, 4 de abril de 2012

Por que as pessoas sofrem?- Indagações humanas

Alguém indagou:
"Por que Deus deixa as crianças da África comerem barro para sobreviver?"

Muitos levantam questionamentos acerca de Deus e sua existência, principalmente quando se trata do sofrimento humano, seja em qual for a área. 
Podemos afirmar a verdade de que Deus não tem prazer no sofrimento de ninguém, porém, Ele permite, por causa de sua Justiça, que o homem arque com a consequência do pecado desde Adão, o qual representava ali no Éden toda a humanidade que ainda havia de existir dali em diante. 

Deus é Santo, e não compactua com o pecado de ninguém, Ele é amor, pois providenciou a remissão dos pecados para aqueles que crerão nele. Ele é também justiça, por isso, o salário do pecado é a morte (Rm 6.23), mas também é misericordioso "Mas o dom gratuito (ou seja, de graça, imerecido) de Deus é a vida eterna, em Cristo Jesus! (Rm 6.23). 
As pessoas que sofrem, não apenas na África, mas também no Brasil, nas favelas ou em diversos lugares de que não temos conhecimento, sofrem dentro de um ciclo de resultados terríveis advindos do pecado existente no coração dos homens. Reina neles a injustiça, o que lhes leva a serem avarentos, ambiciosos, injustos, egoístas, e assim, enchem seus bolsos, adorando a Mamom (dinheiro/riquezas) enquanto a maioria sofre na miséria e na marginalidade.
Os que estão na miséria e na marginalidade são, ao mesmo tempo, culpados e vítimas; primeiro são culpados como todos os outros homens sobre a face da terra, pois cometeram pecado em Adão (Cabeça Federal de toda a humanidade) e ainda cometem uma sequência de pecados no decorrer de suas próprias vidas: "Porque todos pecaram e necessitam da glória de Deus" (Rm 3.23), e ainda, são vítimas dos pecados cometidos por aqueles que estão tratando-os com injustiça, deixando-os à mercê de sua própria sorte. Estes que são vítimas dessa injustiça social são contemplados pelos olhos de Deus, sim; Deus não está alheio ao sofrimento humano, e muito menos tem prazer nele. Jesus disse em sua Pregação que "dificilmente um rico entrará no reino do céu" (Mt 19.23). Mas, por quê ele disse isso? Justamente pelo fato de, em sua maioria, os ricos colocarem o seu dinheiro como seu TUDO, desprezando a Deus, à sua Palavra e à prática do amor ao Próximo. E diz ainda que aqueles que,dentre outros pecados, negaram o fazer o bem ao seu próximo serão julgados culpados no Grande Dia da Vinda dele sobre as nuvens. Leiamos o que está escrito em Mateus 25:41-46
"Então dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos; Porque tive fome, e não me destes de comer; tive sede, e não me destes de beber; Sendo estrangeiro, não me recolhestes; estando nu, não me vestistes; e enfermo, e na prisão, não me visitastes. Então eles também lhe responderão, dizendo: Senhor, quando te vimos com fome, ou com sede, ou estrangeiro, ou nu, ou enfermo, ou na prisão, e não te servimos? Então lhes responderá, dizendo: Em verdade vos digo que, quando a um destes pequeninos o não fizestes, não o fizestes a mim. E irão estes para o tormento eterno, mas os justos para a vida eterna."

Mas, temos enfim, uma boa notícia:
Toda a injustiça numa vida e/ou numa sociedade pode ser freada se houver uma rendição deste homem e desta sociedade à Soberania de Deus, ao Amor e misericórdia de Deus; arrependendo-se, crendo e modificando sua atitude para com Deus e para com o seu semelhante. Deus não é o culpado, e sim, o homem incrédulo que insiste em permanecer numa atitude de rebeldia, o que o faz estar distante de Deus e não se preocupar com o seu próximo.
Quando uma pessoa reconhece o senhorio de Jesus Cristo sobre a sua vida, consequentemente haverá transformação, mudança de atitude diante de Deus e para com os seus semelhantes. Podemos observar uma situação em que isto acontece claramente, quando o Senhor Jesus alcança a vida de Zaqueu. O mesmo era um cobrador de impostos corrupto, mas quando a salvação chegou ao seu coração, ela afetou positivamente todos os âmbitos de sua vida, a tal ponto,que o fez mudar de atitude, não apenas de pensamento, mas principalmente de atitude. Ele desejou corrigir seus erros e quis empenhar-se nesta tarefa a partir daquele dia. (Lucas 19.1-10). Da mesma maneira, quando a Palavra de Deus verdadeiramente é implantada como regra de fé é prática na vida de uma sociedade, haverá mudança, restauração da dignidade, resgate de valores perdidos, prática da justiça, aniquilação do egoísmo, e cultivo do altruísmo.
Só há um meio de sermos pessoas melhores e uma sociedade melhor, é sermos verdadeiramente de Deus; não apenas de lábios, mas de fato e de verdade.

Deus cuide de cada um de nós e nos transforme à sua imagem um dia ofuscada pelo pecado!

Nenhum comentário: