sábado, 27 de agosto de 2011

Série Estudos Bíblicos III: "O meu cônjuge não me procura mais"

Já escrevi aqui outro Post sobre sexo no casamento Quando o Sexo é pecado e percebi que há uma grande necessidade de que se fale mais a respeito de sexo à luz da Bíblia.

Desta vez vamos abordar a questão da falta de sexo dentro do casamento (parte 1).

O apóstolo Paulo, escrevendo a sua primeira carta aos Coríntios, cap 7. 3, ensina: "O marido conceda à esposa o que lhe é devido. E também, semelhantemente, a esposa, ao seu marido." Ler este versículo sem refletir, nos leva a pensar que somente o fato de não negar o sexo ao cônjuge já é suficiente para cumprí-lo, mas não é. A profundidade do versículo é, e ao cônjuge o que lhe é devido. E o que exatamente lhe é devido? Um sexo feito meramente por cumprir tabela? Para desencargo de consciência? Claro que não. Todo cônjuge deseja sentir que no sexo há amor, que o outro teve aquele cuidado de se preparar e de preparar também o quarto, a cama, de forma toda especial para viver intensamente aquele momento somente dos dois, e muitas vezes não é iso que ele recebe ou percebe.


Mas, afinal, o que impede um casal casado de desejar o sexo prazeroso na sua plenitude? Na verdade há alguns fatores que podem pesar muito sobre essa questão:

1- A falta de romantismo- às vezes o cônjuge passa o dia inteiro correndo para resolver tantas coisas, mas não pára para dar uma atenção especial ao seu esposo, ou à sua esposa. Falta aquele "cheiro no cangote" de supresa, aquela pergunta "Como está sendo o seu dia?" "Há algo em que eu possa te ajudar para você não ficar tão cansada?", falta aquela rosa roubada de um jardim ou mesmo comprada (não falo aqui de ramalhetes caros, embora se houver condições financeiras, por que não investir no seu casamento com eses "agrados"?), um chocolate, parar um pouquinho para "namorar no sofá, como quando namoravam, etc.

2- A falta de higiene pessoal- Há mulheres que se queixam de que seus maridos não querem sexo com elas, porém, não têm um asseio corporal adequado. O mesmo acontece com homens que se queixam , mas não cultivam o hábito de higiene que deveriam, principalmente na hora do coito. A falta de cuidados básicos,como banho, depilação, perfume, etc. influencia, sim,na vida sexual do casal.

3- A falta de diálogo- Para que a vida sexual do casal vá bem, todo o restante tem que estar bem. Não existe sexo separado do restante da vida de um casal. Durante o dia surgem problemas que devem ser compartilhados, ponderados, às vezes envolvendo os filhos, ou a vida profissional dos cônjuges, nada disso deve ser ignorado, mas é preciso entendermos que o emocional tem que estar bem para que o cérebro esteja totalmente propenso a se entregar aos estímulos sexuais, preliminares, etc. Não podemos é misturar as coisas na hora errada, como por exemplo, falar desses problemas justamente na hora do sexo, seja antes ou durante. Deve-se reservar um momento em outra hora do dia para tratar desses assuntos. Se não deu tempo, deixe para depois. Mas nunca na hora do sexo.

Se levarmos em consideração esses fatores, com certeza melhoraremos e muito o nosso relacionamento conjugal, principalmente na área sexual.


Um comentário:

João Marcos Bomfim disse...

Olá!

Parabéns pelo belo trabalho apresentado aqui no blog. Já estou seguindo!

Aproveito para lhe convidar a conhecer o meu blog, e se desejar segui-lo, será uma honra.

Seus comentários também serão sempre bem-vindos.

http://conexaocomomundo.blogspot.com

Você faz parceria?

Te espero lá!

Graça, alegria e paz
Sem. João Marcos Bomfim