quarta-feira, 9 de março de 2011

Série Estudos Bíblicos I- Sexo é pecado?

Estamos começando hoje uma série de estudos sobre sexualidade.

O propósito destes Estudos é resgatar os valores bíblicos para a vida do homem e da mulher que deseja agradar a Deus em todo o seu modo de viver. É bem verdade que há muitos Sites falando acerca deste assunto, porém, há um diferencial: não quero que ninguém exponha aqui nos comentários nenhum desabafo relacionado à práticas pecaminosas nessa área da qual trato aqui. Se você, ao ler o Estudo, desejar fazer um pedido de oração, por favor, envie para o meu email: anachagaschagas@hotmail.com e terei o maior carinho em orar por você e se necessário, responder ao seu email. Não sou a favor de exposição de pecados na Internet, pois entendo que publicar pecado é exaltar o Diabo. Devemos proclamar as maravilhas que Deus opera em nossas vidas e assim envergonharmos o inimigo das nossas almas.
Nesta primeira parte, estarei falando sobre a visão bíblica acerca do sexo, a qual deve nortear a nossa vida de solteiros e prosseguir direcionando nossa vida de casados.

Série Estudos Bíblicos 1- Sexo é Pecado?


Ao contrário da visão que muitos têm acerca do sexo, lendo a Palavra de Deus, compreendemos que o sexo foi criado por Ele para o prazer do homem e da mulher , e que é da sua vontade que usufruam desta bênção! Mas não podemos nos esquecer que Deus estabeleceu a maneira como deveríamos lidar com esta questão:

Em primeiro lugar, Deus proíbe a relação sexual entre pessoas do mesmo sexo: "Homem e mulher os criou [...] ... E viu Deus que era muito bom" (Gn 1.27b e 1.31a).

Segundo: Deus diz que o homem deve saciar-se com a mulher da sua mocidade ( Ec 9.9) Mas o que significa isso? Significa que Deus condena o sexo fora do casamento (a fornicação).
Quando Deus fala por meio do sábio rei Salomão ele fala numa perspectiva bíblica, e a bíblia não fala de outra situação em que o sexo é abençoado por Deus, senão quando é praticado dentro do matrimônio. Este texto também significa que Deus condena a prostituição, aquela conhecida prática que conhecemos em que o homem ou até mesmo a mulher "fica" a cada dia com uma pessoa diferente, sem ter nenhuma perocupação com a fidelidade; onde não há "cobranças" e o (a) "parceiro (a)" se submete "na maior" em compactuar com esse tipo de relacionamento.
E, que diremos de pessoas que praticam sexo grupal, ou ainda daquelas que posam nuas para estimular práticas pecaminosas naqueles que olham suas fotos em revistas ou em sites ou das que fazem fimes pornô (o que também é um tipo de prostituição). Deus condena todas estas práticas.

O homem e a mulher foram criados por Deus para a felicidade ao lado de alguém de sexo oposto, e isto, dentro de um relacionamento em que ambos devem fidelidade um ao outro (Pv. 5.18)

Deus nos criou para o louvor da sua glória e também para a nossa felicidade. Ele é o maior interessado em que sejamos felizes em todas as áreas da nossa vida, inclusive na área sexual. Há muitos casais casados que têm deixado de realizar um ao outro pelo simples fato de ainda pensarem que sexo é pecado. Há algumas pessoas que até hoje espalham o mito de que o sexo foi o fruto proibido do qual Adão e Eva comeram lá no Jardim do Édem., e, portanto, não deve ser apreciado nem desejado. Entretanto, todos aqueles que lêem atentamente o Livro de Gênesis, sabem que a ordem de procriarem veio bem antes da queda do homem: "E Deus os abençoou e lhes disse: Sede fecundos, multiplicai-vos e enchei a terra [...]" (Gn .28 a)

Não vou entrar aqui no mérito de o que deve ou não ser feito por um casal casado na sua intimidade; pois isso cabe ao casal; levando em consideração alguns critérios, dos quais o primeiro é o de que devem temer ao Senhor e glorificá-lo também na sua vida sexual; sendo fiéis um ao outro e realizando-se em fazer o cônjuge realizado.

Vejamos alguns destes critérios:


1-Satisfaz aos dois, sem egoísmo nem possesssividade? (permito porque ele/ela quer, mas não quero. O corpo vai mais a mente está alheia ao que acontece ali- 1ª aos Co 7.5);

2- Afeta a saúde física dos dois ou de um dos dois? (devo respeitar tanto o meu corpo quanto o corpo dele/dela; pois somos templo do Espírito Santo. Acima do meu prazer e satisfação está a preservação da nossa saúde e o bem-estar do meu cônjuge- Ef 5.28-29);

3- A motivação é correta? (faço apenas para satisfazer pensamentos pecaminosos que tenho a respeito de uma terceira pessoa [adultério]- Mt 5.28? Ou é porque o amo e desejo somente a ele/ela e tanto a minha mente quanto o meu corpo estão inteiramente ali naquele momento ímpar para nós dois?)

4- Promove a felicidade no relacionamento? (Ou tem sido motivo para raiva e repulsa? O sexo jamais deve ser motivo para tristeza (o que ocorre quando não é feito com amor), mas para satisfação mútua, e deve gerar frutos dentro do relacionamento, como o altruísmo, a cumplicidade e a preservação do clima de lua- de- mel até que a morte os separe- Pv 5.18-19. Não podemos deixar que as picuinhas do dia a dia roubem de nós a paz com o nosso cônjuge, mas devemos manter o nosso alvo: sermos felizes juntos enquanto houver vida em nós).

5- É concedido, ou é forçado? (No amor não deve existir opressão nem chantagem- 1ª aos Co 7. 3-5; Ef 5.25,28). Quando existe o verdadeiro amor (diferente de paixão), não que o amor também não seja carregado de paixão, mas, quando o amor é verdadeiro; tudo acontece naturalmente. Há o desejo de estar juntinho, há o cuidado de estar vigilante para que nada venha quebrar aquele clima romântico que foi cultivado durante todo o dia como conquista para um outro momento em particular. Nao haverá recusas físicas nem tampouco de mente, por inteiro nos entregaremos ao outro, sem reservas. A mente não estará alheia, do outro lado do mundo,mas estará bem ali, vivendo cada segundo que é único em toda uma vida a dois.

Quando dentro do casamento há questões pendentes, se você guarda ressentimentos rrlacionados a esse assunto; o melhor é que os dois parem e conversem sinceramente sobre o mesmo; pois não pode existir isso no casamento, de guardar insatisfações e queixas contra o cônjuge, isso somente tornará mais complicado o relacionamento, tanto na intimidade quanto em todas outras áreas dentro do lar. Pare e observe que no dia em que você não está bem com o cônjuge, tudo parece negro, tudo fica sem graça, seu bom humor já era. Então, qual é a vantagem que temos em guardar esse tipo de sentimento? Nenhuma!
Se o seu cônjuge não sabe exatamente o que lhe agrada, ao invés de entristecer-se, você já parou para pensar que, de repente, ele/ela apenas não sabe o que fazer para agradar a você e que gostaria de ouvir a respeito? Pense na possibilidade de abrir o coração e falar-lhe abertamente sobre as suas necessidades, não com egoísmo, mas como alguém que deixa que o outro lhe conheça melhor para, assim, poder atender melhor aos seus anseios nessa área, o que é inerente ao ser humano, e nos dado por Deus para o nosso prazer.

Infelizmente, devido à criação que muitos receberam; vivendo dentro de lares onde era terminantemente proibido falar sobre sexo e sexualidade, demonstram hoje muita resistência a falar sobre o assunto e olham para o sexo como algo vergonhoso.
Por incrível que pareça, ainda existem casais casados há anos, que jamais viram um ao outro sem roupa, que precisam estar no escuro e totalmente cobertos para que o cônjuge não o veja e ainda há os casais que vêem o sexo como algo criado por Deus unicamente para a procriação (o que não é verdade) e por isso, depois que passou a fase de nascimento dos filhos, deixaram de usufruir desta tão grande dádiva de Deus. Há mulheres que viveram anos e anos com seus cônjuges e jamais souberam o que era sentir prazer, justamente por causa dos tabús que foram enculcados em suas mentes e de seus maridos em sua educação familiar. Aconselho a cada casal casado para lerem juntos o livro da Bíblia Cantares de Salomão/ Cântico dos Cânticos, pois ali podemos ver claramente Salomão e a Sulamita demonstrando o seu amor, um para com o outro em toda a sua plenitude, em um relacionamento abençoado por Deus.
Devemos viver plenamente o nosso relacionamento conjugal desde o primeiro dia do casamento até que a morte nos separe; pois, certamente Adão e Eva, desde que se encontraram já tinham total liberdade um com o outro e a bíblia não relata imediatamente a chegada de filhos, mas estavam sendo "uma só carne" em todos os sentidos; eles estavam "curtindo" a bênção recebida!

Em suma, o sexo é uma bênção concedida por Deus ao ser humano, porém, muitos têm deturpado o seu sentido e valor. Muitos têm banalizado algo tão maravilhoso que nos é dado para o nosso prazer e felicidade a dois.



Nenhum comentário: