terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Uma Oração de clamor a Deus por todos os cristãos

Jesus orando ao Pai pelos seus discípulos, disse:
"[...] Não te peço que os tires do mundo, mas que os livres do mal. Eles não são do mundo, como também eu não sou. Santifica-os na verdade; a tua Palavra é a verdade. Assim como tu me enviastes ao mundo, também eu os enviei ao mundo. E a favor deles eu me santifico a mim mesmo, para que eles também sejam santificados na verdade. Não rogo somente por estes, mas também por aqueles que vierem a crer em mim, por intermédio da tua Palavra; a fim de que todos sejam um; e como és tu, ó Pai, em mim e eu em ti, também sejam eles em nós; para que o mundo creia que tu me enviaste. [...]" (Jo 17.15-21)

Jesus intercedeu pelos discípulos e por nós, os que ainda viriam a crer em seu Nome (v. 20) Ele não pediu ao Pai que nos tirasse do mundo, mas que nos livrasse do mal.

Observando a realidade do mundo com relação à visão que as pessoas tem tido do Evangelho e dos cristãos por causa de muitos outros "cristãos", levantei diante de Deus este clamor e convido você a orar comigo neste momento:

"Pai, reconheço a minha pequenez diante de Ti, e peço que perdoes todas os pecados que cometo contra ti, seja por pensamentos, palavras, gestos e/ou atitudes. Peço que tenhas misericórdia de mim e do teu povo, do teu remanescente que se encontra sobre a terra. Como tu, Deus, disseste enquanto estavas em teu ministério terreno; que nós estamos no mundo, mas não somos do mundo (Jo 15.19; 17.14). Glorifico a Ti porque venceste o mundo e nos garantes a tua presença conosco nos dando bom ânimo para vencermos também.
Peço perdão, Senhor, pelo que tantos por aí tem feito em teu Nome, e usado o Nome do teu Evangelho em função de seus próprios anseios materialistas em função de sua própria glória, e não da Tua.
Senhor, livra-nos de cair em tentação! Livra- nos a nós, os teus "pequeninos" (Mc 9.42) de sermos levados por quaisquer ventos de doutrina...
de nos deixarmos levar por guias cegos, por falsos líderes, que nos induzam a colocar a fé em coisas e não em Ti!
Pai, que vergonha, Pai! Que vergonha ver o que estão fazendo, jogando o teu Nome no chão para os homens blasfemos pisarem!
Que vergonha, Pai, constatar a aversão que as pessoas têm hoje ao Evangelho...
...Constatar a repulsa que eles sentem ao ouvir a tua Palavra, por causa dos que não testemunharam fielmente diante do mundo!
A começar em mim, Senhor, expurga do nosso meio o fermento (o pecado)!
Que voltemos ao Evangelho puro, simples, como o viviam os primeiros cristãos, os quais chegaram a entregar até mesmo as suas vidas, mas não aceitaram compactuar com aquilo que ia contra a tua santidade. Eles foram os "quadrados" daquela época, mas foram homens que buscaram te glorificar com suas vidas!
Quisera eu, Senhor, chegar ao menos aos pés daqueles teus servos da igreja primitiva, dos teus Apóstolos em questão de fidelidade, de testemunho cristão; aqui e agora, em meio a esta realidade onde muitos, para livrarem-se dos olhares e das críticas, têm amenizado, distorcido, enfeitado e/ou omitido a Tua Verdade em detrimento de seu bem-estar, em detrimento de manter uma imagem de alguém que é bem quisto por onde passa, nas igrejas onde prega, ou mesmo na igreja a qual dirigem.
Faz com que eu e todo o teu povo vivamos de maneira agradável a Ti, que nos enchamos do Espírito Santo, mas que façamos o uso adequado deste poder que nos dás, direcionando-o para o cumprimento da nossa Missão, a qual Tu designaste. Porque, entendo, Senhor, que do contrário, será um mero encher e estar vazando constantemente, sem utilizá-lo. Que deixemos o egoísmo que nos leva a estar encravados no conforto das nossas casas e dos nossos templos, e que sejamos altruístas, que sintamos compaixão pelas vidas que estão no lamaçal do pecado, que cumpramos com a responsabilidade de resgatá-las por intermédio da pregação do teu Evangelho puro, que prega a situação de morte do homem, e a reconciliação dele contigo por meio de Cristo.
Não peço que tenhas misericórdia de nós pela nossa negligência; mas clamo que nos perdoes este tão grande pecado!
Repreende aqueles que distorcem a tua Palavra, faz com que eles se arrependam e que passem a ser fiéis a Ti, pois tu dizes em tua Palavra: "Quem é o servo fiel e prudente, a quem o senhor confiou os seus conservos para dar-lhes o sustento a seu tempo? Bem- aventurado aquele servo a quem o seu Senhor, quando vier, o achar servindo assim." (Mateus 24.45-46).
E cuida, Pai, dos teus pequeninos...
Em Nome de Jesus elevo esta minha oração diante de ti. Amém!

Nenhum comentário: