domingo, 14 de novembro de 2010

Você tem certeza de que é salvo?

Textos: Provérbios 30.12 e Mateus 13.24-30 e 36-43
"Há daqueles que são puros aos seus próprios olhos e que jamais foram lavados da sua imundícia."

"O campo é o mundo; a boa semente são os filhos do reino; o joio são os filhos do maligno [...]"

No filme "O Peregrino", vemos no final, que, até mesmo na porta do Céu, há uma porta para o inferno. Aquelas pessoas que tomaram atalhos (Falsas religiões, Seitas que talvez falavam no nome de Deus, mas que nada tinham a ver com Deus, etc.), ao chegarem na porta do Céu tiveram uma terrível surpresa: A porta não se abriu para eles, pelo contrário, um anjo do Senhor as tomava pelo braço para lançá-las no inferno. Não estou dizendo aqui que o verdadeiro cristão, selado com o Espírito Santo pode perder a salvação, mas que, há aqueles que podem estar crentes mas não serem cristãos, e portanto, naquele dia, poderão ter uma terrível surpresa, isto é, se até aquele grande dia não se converterem de fato.
O que dizer de pessoas que, de certa forma estão indo por um "atalho"; não um atalho visível, mas invisível, o qual apenas Deus observa enquanto elas caminham por ele, estando elas no mundo ou até mesmo dentro da igreja? O joio está no mundo, Cristo afirmou esta verdade. E no mundo (Cosmos) também está a igreja visível, e muitos estão na igreja; falando como os crentes, vestindo-se como os crentes, e até orando da mesma forma que os crentes. Alguns destes até são mais assíduos em todas as atividades da igreja do que muitos outros, mas não nasceram de novo verdadeiramente; apenas estão ali.
A Palavra de Deus nos diz: "Fiel é esta Palavra: Se já morremos com ele, também viveremos com ele"; Esta é, verdadeiramente a conversão: Morrer para si mesmo e passar a viver para Deus.
Se já nascemos de novo, podemos afirmar, não que estamos salvos, mas que SOMOS salvos (Mt 5.24). Você já tem certeza de que já passou por esta ação de Deus? Que foi selado com o Espírito Santo para a Salvação? Esta pergunta é muito pertinente, pois naquele dia, aquele não foi selado, isto é, os não salvos, não adentrarão para a grande Ceia eterna com o Senhor.
Muitos por aí têm pregado erroneamente que o crente pode perder a salvação. De forma nenhuma! Uma vez salvo, salvo para sempre! (leia também este Artigo do Ortopraxia sobre a certeza da Salvação). Mas o que estou questionando aqui é o comportamento de pessoas que professam a Jesus, fazem parte de uma igreja evangélica, mas tem se comportado de forma a envergonhar o Evangelho de Cristo. Estas pessoas devem refletir se realmente um dia nasceram de novo, ou se são apenas joio ali entre os salvos. Esta é uma questão pessoal, que intencionei promover uma introspecção em cada leitor deste artigo.
O próprio Senhor Jesus alertou-nos através da Parábola do Trigo e do joio dizendo que o dono daquela casa não permitiu que arrancassem o joio, pois assim poderiam também arrancar o Trigo, mas que deixassem que os dois crescessem juntos até o grande dia da colheita, e só então o dono da casa daria a ordem aos ceifeiros que ajuntassem todo o joio em feixes para ser queimado, e para que recolhessem o trigo no seu Celeiro.
A questão é: O que somos diante de Deus? Trigo ou joio? Você já fez esta pergunta a si mesmo? Creio que é muito importante, pois, se verdadeiramente somos do Senhor, o seu Espírito Santo testifica a todo instante dentro de nós que somos Dele, e que devemos viver em santificação para Ele. E se julgamos ser salvos (ser Trigo), isto deve, imprescindivelmente ser evidenciado em toda a nossa maneira de viver.
Se alguém é joio, será joio até o fim. O joio não se transforma em trigo. A semente é de joio e nasceu joio, e o Senhor diz que é o inimigo quem lança a semente de joio no mundo.

Em suma, precisamos ter dois cuidados quanto à colheita de Deus no último dia:

Não sairmos por aí dando uma de Juízes, querendo estar no lugar de Deus, dizendo: "Este aqui é trigo.", "Aquele outro lá é joio."; pois não cabe a nós este veredicto, mas a Deus.

Analisarmos a nossa própria conduta e nos consertarmos diante de Deus e do mundo, pois, se somos verdadeiramente trigo, o mundo deve ver em nós verdadeiros crentes, exemplo para eles, e não alguém cujo testemunho gera nas pessoas repulsa aos crentes e a tudo que se relaciona a eles. A nossa finalidade aqui é brilhar a tal ponto que as pessoas sejam atraídas para Deus, a tal ponto que as pessoas glorifiquem ao nosso Deus através do nosso testemunho cristão.

5 comentários:

Leonardo J. N. Félix disse...

Ana,

Graça e paz!

Preocupo-me com o estreitamento do reino de Deus à igreja. Sabemos que muitos que estão sentados nos bancos dos nossos templos não são salvos. Entretanto, a parábola do Joio e do Trigo não fala da igreja organizada como comumente se aplica essa passagem. É no mundo que o trigo cresce. O reino cresce no mundo, por isso fomos chamados para ser "Sal e Luz" da terra e do mundo. Pode ser um grande perigo restrigir a aplicação dessa vocação apenas ao contexto da igreja organizada. Talvez seja por isso que estejamos passando por uma "crise de integridade". Muitos cristãos não conseguem testemunhar Cristo porque acham que o reino é vivido apenas dentro das quatro paredes do templo.

Muito boa a reflexão.

Deus te abençoe sempre.

Pr. Leonardo Félix.
http://criticasagrada.blogspot.com/

Ana Chagas disse...

Pr. Leonardo, que bom que visitou o meu Blog, e obrigada por deixar aqui o seu comentário! Sempre é necessário salientarmos que existe a Igreja invisível do Senhor, na qual não há contaminação, a qual somente Ele vê. Muitos confundem e acham que por estarem simplesmente fazendo parte de uma igreja evangélica está tudo bem, quando na verdade a Palavra de Deus nos mostra que é preciso nascer de novo. Muitos cristãos se referem à sua própria vida, ora como vida secular, ora como vida cristã (a qual entendem que se restringe às quatro paredes do templo) mas na verdade, só temos uma vida, e é a vida critã, a qual deve se expandir a todo lugar por onde passarmos e nos relacionarmos. Devemos ter cuidado para não estarmos enganando a nós mesmos dentro de uma igreja, mas sem dar sinais de que verdadeiramente somos trigo.
Um abraço e volte sempre aqui no Blog!

lucas disse...

Esta questao termina por nos levar a pergunta se a predestinaçao do ponto de vista calvinista esta correta. Veja suas recomendações: “devemos nos consertar”... “Analisar nossa propria vida”... “Precisamos ter cuidado com o dia da colheita”...Logico e correto, mas eu pergunto: se eu estava vivendo de forma errada eu era joio? Se eu for me consertando então vou me transformando em trigo? Ao analisar minha vida eu posso saber se sou joio? Quando dou mau testemunho sou joio? Quando dou bom testemunho passei a ser trigo? Ou eu era trigo dando mau testemunho ou pode o joio dar bom testemunho? Ter cuidado com o dia da colheita indica que eu posso mudar meu destino? Eu posso fazer alguma coisa para mudar minha realidade? Ou já era? Será que a idéia de “já era” num termina sendo uma idéia do diabo para me manter no erro? Adianta dar recomendações sobre transformação de vida já que o joio será joio e trigo será sempre trigo?

Ana Chagas disse...

Lucas, como vai? Gostei da sua pergunta. Veja bem, a predestinação não pode ser posta em dúvidas, mesmo que nos pareça complicado encará-la. Quando digo, logo no início: “... há aqueles que podem estar crentes, mas não serem cristãos, e, portanto, naquele dia, poderão ter uma terrível surpresa, isto é, se até aquele grande dia não se converterem de fato.” Estou afirmando, não que a salvação dependa do homem; pois para que ele dê ouvidos à voz de Deus e responda se convertendo publicamente, é necessário que tenha, antes, havido dentro dele o que o Senhor Jesus chama de “nascer de novo” e aquele que nasce de novo, não provará da segunda morte, que é a morte eterna (inferno para sempre); mas estou afirmando que há pessoas que enganam a si mesmas de que são crentes, mas na verdade não tem nada com Deus, apenas freqüentam uma igreja, porém não vivem uma vida de compromisso com Deus diante de Deus nem dos homens, não testemunha de Cristo; seu viver não atrai ninguém para Jesus, como Jesus disse que deveríamos ser, quando falou que somos sal da terra e luz do mundo. A salvação não depende do homem; porém, a santificação exige a participação do homem com o auxílio do Espírito Santo, o qual habita em todo aquele que é salvo. Logo, se não nascemos de novo, não temos o Espírito de Deus; e consequentemente, não podemos gerar frutos permanentes de arrependimento na presença de Deus.
Quando, na conclusão falo que devemos nos consertar na forma como estamos vivendo diante e Deus e do mundo; falo a crentes, a pessoas que estão dentro das igrejas; a pessoas que devem fazer jus ao Nome de Jesus que carregam como sendo seu salvador. Pois, se afirmamos que somos de Deus, é imprescindível que evidenciemos isto, por meio de vida coerente com o que lemos na bíblia, com tudo o que ouvimos e pregamos baseados nela. Precisamos nos consertar? Sim, a cada dia. Se não quisermos comparecer diante de Deus de mãos vazias, precisamos andar como Ele andou, precisamos viver como trigo, e não como joio, negando com nossas atitudes que de fato somos novas criaturas, que deixaram as coisas velhas para trás, e agora foram revestidas pelo novo homem, por meio do sacrifício vicário de Cristo.
O trigo pode deixar de ser trigo? Não. Jamais. O que pode acontecer com este “trigo” que não tem dado bom testemunho de Cristo aqui? A Bíblia nos afirma que naquele grande dia, haverá o Juízo de condenação para o mundo. Mas também haverá um juízo para galardão, apenas para a Igreja do Senhor, reservadamente, a Igreja e o Noivo. Ele pesará nossas obras (não falo aqui de obras de caridade somente, mas de todo o nosso proceder enquanto estivemos aqui levando o nome de crente, de cristão, enfim) se elas passarem pelo fogo e permanecerem, o tal receberá galardão (recompensa além da salvação, a qual recebeu quando nasceu de novo na terra); porém, se as suas obras passarem pelo fogo e não permanecerem, o tal ainda será salvo, mas ficará sem recompensa alguma. Ninguém deixará de ser joio. Aqueles que não foram predestinados por Deus para a salvação serão joio até o fim. Suas próprias obras vazias e rebeldia para com Deus revelam esta verdade.
CONTINUA...

Ana Chagas disse...

CONTINUAÇÃO para Lucas:

Aqueles que um dia aceitaram ou ainda aceitarão a Cristo como seu Salvador até a sua vinda para levar a sua Igreja, virão até Ele porque já foram lhe dadas pelo Pai; por isso virão, ouvirão a sua voz, e lhe seguirão (Jo 6.65; Jo 10. 14-16; Jo 17. 9, 17, 19, 20) Jesus afirma que havia “os que iriam crer nele” não seriam todos. Para muitos é difícil compreender esta doutrina bíblica, porém, a base dela é a Fé e a Graça de Deus sobre nós.
Devemos pregar o Evangelho a todos, pois não sabemos quais deles o Senhor está chamando; esta Obra é invisível. O olho humano jamais saberá o que Deus está a fazer. Mas aquele que tem convicção que nasceu de novo, sua vida denuncia que nele há algo diferente acontecendo vindo da parte de Deus; pois a salvação não apenas nos alcançará na eternidade, mas já começa a agir em nós aqui mesmo; tornando-nos pessoas diferentes, de propriedade exclusiva de Deus!
Alguém que é joio pode até ser mero freqüentador de igreja aqui, sem jamais ter firmado um compromisso com o Senhor da Igreja, mas na glória do Senhor ele não entrará, pois não foi selado com o Espírito Santo para a salvação. Ter cuidado com o dia da colheita, quer dizer: “Se é santo, santifique-se mais, se é sujo, suje-se ainda mais (Apocalipse 22.10-17).” Para Deus não existe meio termo; para Deus, ou você é crente de verdade, ou não é. Naturalmente, o trigo desejará agradar a Deus com o seu viver, isso passa a ser parte dele, glorificar a Deus, que é o motivo pelo qual foi criado. O joio jamais deseja isto, pois permanece na morte. O trigo, pode encontrar-se hoje morto em delitos e pecados, porém, Deus já marcou, e em determinado ponto da história desta pessoa, ele ganhará vida novamente, ouvirá a pregação do Evangelho e crerá no Senhor, e responderá positivamente ao chamado de Deus, pois agora já não estará mais morto (Efésios 2.1-10).