sexta-feira, 30 de julho de 2010

Quem é Deus?

Deus não é a natureza, mas se revela através da obra das suas mãos!
Deus é incogniscível- Em primeiro lugar, não podemos deixar de enfatizar o fato de que jamais ninguém poderá esgotar a totalidade do conhecimento de Deus. Ele É insondável! A essência do Ser de Deus jamais poderá ser definida com meras palavras produzidas pelo intelecto do ser humano tão limitado. Tentar fazer isso poderia simplesmente destruir a ideia de Deus. É justamente esta Sua grandeza indefinível que O revela como Deus. Nós não podemos mensurá-lo finitamente, pois Sua grandeza não cabe em nossa pobre mente limitada: "A quem, pois, me fareis semelhante, para que eu lhe seja igual? diz o Santo." (Isaías 40:25).

Apenas O seu próprio Espírito O conhece, apenas O Filho O conhece; pois Os três são Um, de única essência, poder e glória: "Tudo fez formoso em seu tempo; também pôs o mundo no coração do homem, sem que este possa descobrir a obra que Deus fez desde o princípio até ao fim". (Eclesiastes 3:11). Nem mesmo quando já estivermos para sempre com ele saberemos tudo acerca dele, apenas desfrutaremos da sua presença, sentindo o gozo de pertencermos a ele, e termos sido feitos dignos, por meio de Cristo, de gozá-lo eternamente. Glória a Deus!


Deus é Deus- “Assim diz o SENHOR, Rei de Israel, seu Redentor, o SENHOR dos Exércitos: Eu sou o primeiro e eu sou o último, e além de mim não há Deus”. (Isaías 44:6). Ele É O Único e verdadeiro Deus, digno de adoração, de toda honra e de toda a glória para todo o sempre. Amém! Ele nos faz ficar perplexos diante do Seu Ser e diante de Seus poderosos feitos!

Deus é Trino- Embora seja algo difícil de compreendermos, a Trindade é bíblica e estamos seguros desta verdade por um elemento de apenas duas letras, mas de uma profundidade gigantesca: ! Não se trata de politeísmo, pois não são três deuses em um; também não se trata de modalismo, o qual afirma que Deus é uma só pessoa que se presenta de três maneiras distintas em épocas distintas no relacionamento com a humanidade. Mas trata-se de uma Tri-unidade, à qual chamamos "TRINDADE"; pois É apenas UM Deus, O qual subsiste em três pessoas distintas, as quais têm funções diferentes e permanentes dentro da Trindade, ao que denominamos "Economia da Trindade": O Pai elege, O Filho encarna, É o Sacerdote escolhido pelo Pai e é também Ele mesmo o sacrifício perfeito, o qual é oferecido ao Pai no Santo dos Santos do reino espiritual Ele era perfeito porque era escolhido pelo Pai; era 100% homem, podendo assim nos representar perfeitamente diante de Deus como o segundo Adão; dando o Seu sangue, não como os sacrifícios da Antiga Aliança, terrenos e por isso limitados, mas de forma definitiva. E o Espírito Santo, por Sua vez, É Aquele que regenera e que "convence o homem do pecado, da justiça e do juízo." (Jo 16.8).
Há algumas passagens bíblicas que enfatizam o ensino da Trindade: O termo hebraico Elohim (o verbo é conjugado no plural mesmo quando se trata do Único Deus que se revela a Israel por meio de Moisés como O Único Deus a quem aquele povo deveria adorar, mesmo naquele contexto, quando viviam diante de povos idólatras politeístas. Isto nos remete à ideia da Tri-unidade desde o princípio da narração bíblica):  NA CRIAÇÃO: "E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo o réptil que se move sobre a terra. E criou Deus o homem à sua imagem: à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou." (Gênesis 3:26-27). APÓS A QUEDA DO HOMEM: "Então disse o SENHOR Deus: Eis que o homem é como um de nós, sabendo o bem e o mal; ora, para que não estenda a sua mão, e tome também da árvore da vida, e coma e viva eternamente, O SENHOR Deus, pois, o lançou fora do jardim do Éden, para lavrar a terra de que fora tomado." (Gênesis 3:22-23); etc. E NO NOVO TESTAMENTO: NA BÊNÇÃO: "A graça do Senhor Jesus Cristo, e o amor de Deus, e a comunhão do Espírito Santo seja com todos vós. Amém." (2 Coríntios 13:14); e ainda, No Livro de Apocalipse, João declara a saudação do Filho e do Espírito Santo atribuindo a ambos a mesma glória e poder: "João, às sete igrejas que estão na Ásia: Graça e paz seja convosco da parte daquele que é, e que era, e que há de vir, e da dos sete espíritos que estão diante do seu trono; E da parte de Jesus Cristo, que é a fiel testemunha, o primogênito dentre os mortos e o príncipe dos reis da terra. Aquele que nos amou, e em seu sangue nos lavou dos nossos pecados, E nos fez reis e sacerdotes para Deus e seu Pai; a ele glória e poder para todo o sempre. Amém." (Apocalipse 1:4-6).


Podemos seguramente afirmar: "O FILHO QUE SE ENCARNOU É DEUS": "Eu e o Pai somos um." (João 10:30), Ele reflete em Si mesmo a essência do Pai. Enquanto Ele estava encarnado Ele era de fato 100% homem ao mesmo tempo que era 100% Deus. Como assim? A substância do seu corpo era 100% humana, enquanto que subsistia em forma de Deus, abrindo mão de seus atributos divinos (Kenósis) para humilhar-se à forma humana e até a morte na cruz fazendo-se maldição em nosso lugar.
Jesus é Revelado ao mundo como a expressão exata do Ser de Deus- "expressão exata" a qual não poderemos jamais mensurar, nem mesmo podemos chegar à noção do que seja a grandeza do Ser de Deus.

O ESPÍRITO SANTO É DEUS- Diferente do que muitos afirmam, o Espírito Santo não e apenas uma "energia" ou ainda uma "a força ativa de Deus", mas É uma Pessoa da Trindade; Ele É Deus! A presença dEle com os Discípulos e com a igreja após a ascensão do Senhor Jesus foi imprescindível para que a Obra fosse realizada com êxito. Alguém já disse que o Livro de Atos dos Apóstolos deveria, na verdade, ser chamado de Atos do Espírito Santo, pois é por meio das ações dEle que tudo acontece. 
Cristo antes de ir para a cruz prometeu que viria o OUTRO Consolador da parte do Pai: "E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre." (Jo 14.16). Cristo era Consolador, O Espírito Santo continuou fazendo a Obra, ou seja ensinando e guiando os Discípulos com apenas uma diferença: Ele não possuía corpo físico, pois quem encarnou foi apenas o Filho.
O Apóstolo Pedro se refere a Ele como Deus: "Disse então Pedro: Ananias, por que encheu Satanás o teu coração, para que mentisses ao Espírito Santo, e retivesses parte do preço da herdade? Guardando-a não ficava para ti? E, vendida, não estava em teu poder? Por que formaste este desígnio em teu coração? Não mentiste aos homens, mas a Deus." (Atos 5:3-4); compartilha da mesma ciência de Deus Pai: "Assim também ninguém sabe as coisas de Deus, senão o Espírito de Deus." (1 Coríntios 2:11b); "Mas Deus no-las revelou pelo seu Espírito; porque o Espírito penetra todas as coisas, ainda as profundezas de Deus." (1 Coríntios 2:10).
Ele É uma pessoa que age e demonstra sentimentos, como podemos verificar em diversos textos: Ele examina e nos dá assistência contra toda oposição: "E da mesma maneira também o Espírito ajuda as nossas fraquezas; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis. E aquele que examina os corações sabe qual é a intenção do Espírito; e é ele que segundo Deus intercede pelos santos." (Romanos 8:26-27); Ele sente ciúmes: "Ou cuidais vós que em vão diz a Escritura: O Espírito que em nós habita tem ciúmes?" (Tiago 4:5); Ele ensina: "Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito." (João 14:26); Ele advoga, ajuda e sustenta: "O mesmo Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus." (Romanos 8:16); Ele se entristece: "E não entristeçais o Espírito Santo de Deus, no qual estais selados para o dia da redenção."(Efésios 4:30); Ele conduz e transporta: "E logo o Espírito o impeliu para o deserto." (Marcos 1:12); "Depois o Espírito me levantou, e me levou à Caldéia, [...]" (Ezequiel 11:24); Ele distribui dons aos homens: "E o Espírito de Deus o encheu de sabedoria, entendimento, ciência e em todo o lavor," (Êxodo 35:31); "Porque a um pelo Espírito é dada a palavra da sabedoria; e a outro, pelo mesmo Espírito, a palavra da ciência; E a outro, pelo mesmo Espírito, a fé; e a outro, pelo mesmo Espírito, os dons de curar;" (1 Coríntios 12:8,).




 Deus é espírito- Deus é espírito; não podemos vê-lo nem tocá-lo. Porém, pela fé, podemos sentir a sua presença em nós e no meio dos que se reúnem em Seu Nome adorando-o com coração sincero e quebrantado. "Deus é espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade". (João 4.24); "O qual é imagem do Deus invisível," (Colossenses 1:15a); "Deus nunca foi visto por alguém. O Filho unigênito, que está no seio do Pai, esse o revelou." (João 1:18); "Ora, ao Rei dos séculos, imortal, invisível, ao único Deus sábio, seja honra e glória para todo o sempre. Amém." (1 Timóteo 1:17).



Deus é amor- Ele ama, escolheu e salvou os seus escolhidos: "Há muito que o SENHOR me apareceu, dizendo: Porquanto com amor eterno te amei, por isso com benignidade te atraí." (Jeremias 31:3). Ele é amor; todavia, a sua ira permanece sobre aqueles que permanecem no pecado deliberado sem arrependimento. Ele não se alegra com a morte do ímpio: "Que quer que todos os homens se salvem, e venham ao conhecimento da verdade." (1 Timóteo 2:4); porém, os homens, por causa do pecado, desde Adão, se afastaram de Deus e tem rejeitado o seu amor e o seu senhorio sobre suas vidas.


Deus é Justiça- Deus é Justo. Ele jamais pode ser infiel aos seus próprios decretos: "Eis que todas as almas são minhas; como o é a alma do pai, assim também a alma do filho é minha: a alma que pecar, essa morrerá." (Ezequiel 18:4). O amor do Senhor não sobrepuja nenhum de Seus outros atributos. Todos estes santos, perfeitos e eternos atributos estão em ação concomitantemente. Por isso não é injusto Deus amar e julgar retamente o ímpio que se rebela contra ele deliberadamente. De acordo com a justiça de Deus, todos nos estávamos condenados ao inferno, pois escolhemos somente pecar contra Ele. Porém, por causa da Sua misericórdia nos alcançou: "Mas, ó homem, quem és tu, que a Deus replicas? Porventura a coisa formada dirá ao que a formou: Por que me fizeste assim? Ou não tem o oleiro poder sobre o barro, para da mesma massa fazer um vaso para honra e outro para desonra" (Romanos 9:20-21); "E desposar-te-ei comigo para sempre; desposar-te-ei comigo em justiça, e em juízo, e em benignidade, e em misericórdias." (Oséias 2:19). E o Seu Filho Jesus, ao vir ao mundo, cumpriu o seu propósito:  "E a vontade do Pai que me enviou é esta: Que nenhum de todos aqueles que me deu se perca, mas que o ressuscite no último dia." (João 6:39).

Deus é Soberano- Ele governa tudo. Portanto, nada nem ninguém o subjuga ou o domina:
ELE REINA! : "O Senhor tem estabelecido o seu trono nos céus, e o seu reino domina sobre tudo." (Salmos 103:19); "Bem sei eu que tudo podes, e que nenhum dos teus propósitos pode ser impedido." (Jó 42:2). 
A ELE SE SUBMETE TODA A CRIAÇÃO: "Quem primeiro me deu, para que eu haja de retribuir-lhe? Pois o que está debaixo de todos os céus é meu." (Jó 41:11);  "O teu Deus reina! (Isaías 52:7b); "E ele domina entre as nações." (Salmos 22:2); 
A ELE SE SUBMETEM TODOS OS HOMENS: "Ainda antes que houvesse dia, eu sou; e ninguém há que possa fazer escapar das minhas mãos; agindo eu, quem o impedirá?". (Isaías 43:13);
A ELE SE SUBMETEM TAMBÉM OS REINOS DESTE MUNDO; VEJA O QUE ACONTECEU COM O REI NABUCODONOSOR: "E foi tirado dentre os filhos dos homens, e o seu coração foi feito semelhante ao dos animais, e a sua morada foi com os jumentos monteses; fizeram-no comer a erva como os bois, e do orvalho do céu foi molhado o seu corpo, até que conheceu que Deus, o Altíssimo, tem domínio sobre o reino dos homens, e a quem quer constitui sobre ele." (Daniel 5:21); 
A ELE SE SUBMETE O DIABO: "Então o SENHOR Deus disse à serpente: Porquanto fizeste isto, maldita serás mais que toda a fera, e mais que todos os animais do campo; sobre o teu ventre andarás, e pó comerás todos os dias da tua vida. E porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua semente e a sua semente; esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar." (Gênesis 3:14-15).
E É ELE QUEM DECIDE SALVAR-NOS: "Mas, ó homem, quem és tu, que a Deus replicas? Porventura a coisa formada dirá ao que a formou: Por que me fizeste assim? Ou não tem o oleiro poder sobre o barro, para da mesma massa fazer um vaso para honra e outro para desonra" (Romanos 9:20-21); "E a vontade do Pai que me enviou é esta: Que nenhum de todos aqueles que me deu se perca, mas que o ressuscite no último dia." (João 6:39); ele salva judeus e gentíos pela sua soberania: "Eis que dias vêm, diz o SENHOR, em que farei uma aliança nova com a casa de Israel e com a casa de Judá. Não conforme a aliança que fiz com seus pais, no dia em que os tomei pela mão, para os tirar da terra do Egito; porque eles invalidaram a minha aliança apesar de eu os haver desposado, diz o SENHOR. Mas esta é a aliança que farei com a casa de Israel depois daqueles dias, diz o SENHOR: Porei a minha lei no seu interior, e a escreverei no seu coração; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo.(Jeremias 31:31-33).

Deus é benigno- Ele é cheio de afeição, de amabilidade, de benevolência, de meiguice pelos Seus amados, e por meio de Seu cuidado todo este sentimento é demonstrado: "E tirou a Israel do meio deles; porque a sua benignidade dura para sempre; Com mão forte, e com braço estendido; porque a sua benignidade dura para sempre; Aquele que dividiu o Mar Vermelho em duas partes; porque a sua benignidade dura para sempre; E fez passar Israel pelo meio dele; porque a sua benignidade dura para sempre; Mas derrubou a Faraó com o seu exército no Mar Vermelho; porque a sua benignidade dura para sempre. Aquele que guiou o seu povo pelo deserto; porque a sua benignidade dura para sempre [...]". (Salmos 136:11-16); "Quando eu disse: O meu pé vacila; a tua benignidade, SENHOR, me susteve." (Salmos 94:18).


Deus é Fiel- Ele permanece Fiel a Si mesmo. E nós, como consequência, gozamos desta Sua Fidelidade: "Que desde o princípio anuncio o que há de acontecer e desde a antiguidade as coisas que ainda não sucederam; que digo: O meu conselho permanecerá de pé, farei toda a minha vontade." (Is 46.10 ); "A minha benignidade lhe conservarei eu para sempre, e a minha aliança lhe será firme." (Salmos 89:28)
Ele é Fiel aos seus próprios desígnios e a tudo aquilo que estabeleceu para cada um de nós.

Deus É imutável- "Porque eu, o SENHOR, não mudo; por isso vós, ó filhos de Jacó, não sois consumidos." (Malaquias 3:6). Por isso podemos confiar em Suas promessas, pois Fiel é o que prometeu. NEle não há sombra de mudança nem variação!


Deus é eterno- Ele não foi criado. Nem tem início como nós. Antes, Ele É o princípio e o fim de todas as coisas! "Antes que os montes nascessem, ou que tu formasses a terra e o mundo, mesmo de eternidade a eternidade, tu és Deus". (Salmos 90:2).

Deus é atemporal- Ele está acima do tempo, das épocas e das eras! "E agora glorifica-me tu, ó Pai, junto de ti mesmo, com aquela glória que tinha contigo antes que o mundo existisse." (João 17:5); 

Deus é Criador- Deus não é a natureza, como acredita o Animismo, mas É O Criador de TODAS as coisas: "No princípio criou Deus os céus e a terra." (Gênesis 1:1). Deus-Filho estava com o Pai no ato da Criação: Acerca dO Filho encarnado que João afirma em seu Evangelho que "Sem Ele, nada do que foi feito se fez." (Jo 1.1-3).


Deus é Infinito- Ninguém jamais pode delimitar a sua existência! "Antes que os montes nascessem, ou que tu formasses a terra e o mundo, mesmo de eternidade a eternidade, tu és Deus." (Salmos 90:2).

Deus é Onipotente- Ele é eternamente Poderoso (na eternidade para passado e o futuro! OH, glória!) sem haver jamais outro igual. O poder da vida e da morte está em suas mãos. "Vede agora que Eu Sou, Eu somente, e mais nem um deus além de mim; Eu mato e Eu faço viver; Eu firo e Eu saro; e não há quem possa livrar alguém da minha mão." (Deut 32.39; Is 45.7). Se não fora a permissão Dele, nem sequer estaríamos respirando! Assim como o profeta Isaías ficou atemorizado diante da visão do Senhor (Is 6.1-8), assim nós também precisamos estar extasiados diante do Poder criador do nosso Deus!

Deus é Onipresente- Ele É eternamente presente, ocupa toda a existência: "E clamavam uns aos outros, dizendo: Santo, Santo, Santo é o SENHOR dos Exércitos; toda a terra está cheia da sua glória." (Isaías 6:3); "Para onde me irei do teu espírito, ou para onde fugirei da tua face? Se subir ao céu, lá tu estás; se fizer no inferno a minha cama, eis que tu ali estás também. Se tomar as asas da alva, se habitar nas extremidades do mar, Até ali a tua mão me guiará e a tua destra me susterá." (Salmos 139:7-10); "Jesus viu Natanael vir ter com ele, e disse dele: Eis aqui um verdadeiro israelita, em quem não há dolo. Disse-lhe Natanael: De onde me conheces tu? Jesus respondeu, e disse-lhe: Antes que Filipe te chamasse, te vi eu, estando tu debaixo da figueira. Natanael respondeu, e disse-lhe: Rabi, tu és o Filho de Deus; tu és o Rei de Israel. Jesus respondeu, e disse-lhe: Porque te disse: Vi-te debaixo da figueira, crês? Coisas maiores do que estas verás." (João 1:47-50); "Porventura sou eu Deus de perto, diz o SENHOR, e não também Deus de longe?" (Jeremias 23:23).
Ele está totalmente presente perto de mim e totalmente presente perto de um outro servo dele que está do outro lado do mundo! Aleluia! E ao mesmo tempo habita nas alturas em toda a sua Glória e majestade!

Deus é Onisciente- Ele sonda o mais profundo do coração do homem. Portanto, não há como fugir da sua presença, nem do seu olhar: "SENHOR, tu me sondaste, e me conheces." (Salmos 139:1); "E, tendo Jesus entrado em Jericó, ia passando. E eis que havia ali um homem chamado Zaqueu; e era este um chefe dos publicanos, e era rico. E procurava ver quem era Jesus, e não podia, por causa da multidão, pois era de pequena estatura. E, correndo adiante, subiu a um sicômoro bravo para o ver; porque havia de passar por ali. E quando Jesus chegou àquele lugar, olhando para cima, viu-o e disse-lhe: Zaqueu, desce depressa, porque hoje me convém pousar em tua casa.

E, apressando-se, desceu, e recebeu-o alegremente. E, vendo todos isto, murmuravam, dizendo que entrara para ser hóspede de um homem pecador. E, levantando-se Zaqueu, disse ao Senhor: Senhor, eis que eu dou aos pobres metade dos meus bens; e, se nalguma coisa tenho defraudado alguém, o restituo quadruplicado.
E disse-lhe Jesus: Hoje veio a salvação a esta casa, pois também este é filho de Abraão." (Lucas 19:1-9).
E, tendo Jesus entrado em Jericó, ia passando.
E eis que havia ali um homem chamado Zaqueu; e era este um chefe dos publicanos, e era rico.
E procurava ver quem era Jesus, e não podia, por causa da multidão, pois era de pequena estatura.
E, correndo adiante, subiu a um sicômoro bravo para o ver; porque havia de passar por ali.
E quando Jesus chegou àquele lugar, olhando para cima, viu-o e disse-lhe: Zaqueu, desce depressa, porque hoje me convém pousar em tua casa.
E, apressando-se, desceu, e recebeu-o alegremente.
E, vendo todos isto, murmuravam, dizendo que entrara para ser hóspede de um homem pecador.
E, levantando-se Zaqueu, disse ao Senhor: Senhor, eis que eu dou aos pobres metade dos meus bens; e, se nalguma coisa tenho defraudado alguém, o restituo quadruplicado.
E disse-lhe Jesus: Hoje veio a salvação a esta casa, pois também este é filho de Abraão.

Lucas 19:1-9

Deus é preciente- Ele É eternamente conhecedor de todas as coisas, sejam elas passadas, presentes ou vindouras na história da humanidade: "Os teus olhos viram o meu corpo ainda informe; e no teu livro todas estas coisas foram escritas; as quais em continuação foram formadas, quando nem ainda uma delas havia." (Salmos 139:16); "Disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que, nesta mesma noite, antes que o galo cante, três vezes me negarás." (Mateus 26:34); "E disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso." (Lucas 23:43); "Eleitos segundo a presciência de Deus Pai, em santificação do Espírito, para a obediência e aspersão do sangue de Jesus Cristo: Graça e paz vos sejam multiplicadas." (1 Pedro 1:2).

Deus é transcedente- Habita nas alturas! O Seu Ser abarca toda a existência! "Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome." (Mateus 6:9); "Quem é como o SENHOR nosso Deus, que habita nas alturas?" (Salmos 113:5): "Mas tu, SENHOR, és o Altíssimo para sempre." (Salmos 92:8); "Porventura Deus não está na altura dos céus? Olha para a altura das estrelas; quão elevadas estão." (Jó 22:12). "No céu está o nosso Deus , e tudo faz como lhe apraz." (Salmo 115.3); "O SENHOR dos Exércitos, Deus de Israel, que habitas entre os querubins; tu mesmo, só tu és Deus de todos os reinos da terra; tu fizeste os céus e a terra." (Isaías 37:16).



Deus é imanente- Também sustenta a obra de suas próprias mãos: "Envias o teu Espírito, e são criados, e assim renovas a face da terra." (Salmos 104:30). Deus também habita no tabernáculo espiritual que somos nós e relaciona-se pessoalmente com cada um daqueles que de fato nascem de novo. "Mas o Altíssimo não habita em templos feitos por mãos de homens, como diz o profeta" (Atos 7:48).


Deus é Senhor- Ele É o Senhor de todas as coisas! Ninguém o pode subjugar nem lhe dar ordens, muito menos determinar o Seu agir, pois Ele é Senhor! Por ninguém é mandado ou dominado; pois é o Senhor dos senhores! Aquele que não o reconhece como Senhor da sua vida, é melhor que não o chame de "Senhor". Se, tendo conhecido a Sua Verdade teimamos em não obedece-lo, então não o reconhecemos como Senhor; não compreendemos ainda a grandeza desta verdade de que Ele É O Senhor! De que Ele deve ter a primazia em nossas vidas.

Deus é Misericórdia- Ele tem compaixão e por isso nos socorre e nos livra. A Sua Palavra nos afirma que as suas misericórdias não têm fim (Lm 3.22). Porém, Ele também diz: "Terei misericórdia de quem eu quiser ter misericórdia, e me compadecerei de quem eu me compadecer." (Êx. 33.19); "Como está escrito: Amei a Jacó, e odiei a Esaú. Que diremos pois? que há injustiça da parte de Deus? De maneira nenhuma. Pois diz a Moisés: Compadecer-me-ei de quem me compadecer, e terei misericórdia de quem eu tiver misericórdia. Assim, pois, isto não depende do que quer, nem do que corre, mas de Deus, que se compadece." (Romanos 9:13-16). A sua misericórdia não está sujeita à minha exigência. Ele escolhe nos amar.

Deus é Grande- Em toda a sua bondade, santidade, eternidade. Um "grande" sem que seja possível medí-lo ou determinar a sua grandeza. Aleluia!

Deus é bom-
Nele não existe maldade, somente a bondade permeia o seu Ser; embora seja algo alto demais para a nossa mente limitada; Ele é bom, mas ainda permite, embora por um tempo já determinado, que a maldade ainda atue aqui na terra, embora por tempo limitado; pois o fim de todas as coisas já foi decretado por Ele, inclusive a justa condenação do Diabo e seus anjos e de todos aqueles que não viveram para Deus.

Deus é Provedor e Salvador- Ele é Deus provedor e Salvador, não apenas de nossas necessidades materiais, como muitos pensam, mas principalmente da nossa necessidade espiritual. Desde que o homem caiu, desobedecendo a Deus, e sendo por isso afastado da Sua Santa presença; por sua misericórdia, desde antes da fundação do mundo, Deus já proveu para nós o Cordeiro, que era Deus vindo nascer como homem, para morrer pelos homens que o rejeitam desde o Jardim do Éden até os dias de hoje. No Jardim, Deus decretou o seu plano salvífico para este homem caído; o qual, no tempo oportuno, se fez carne; no tempo oportuno derramou o seu sangue na cruz, nos abrindo de novo o caminho ao Deus-Pai; no tempo oportuno (após três dias) ressuscitou e ainda no tempo oportuno, o qual Deus já determinou, voltará nas nuvens, para buscar para si todos aqueles que abraçaram esta única oportunidade de viver eternamente em perfeita comunhão com o Pai. Podemos verificar esta verdade em diversas passagens bíblicas, como:
"Como também nos elegeu nele antes da fundação do mundo, para que fôssemos santos e irrepreensíveis diante dele em amor". (Efésios 1:4).
"Que nos salvou, e chamou com uma santa vocação; não segundo as nossas obras, mas segundo o seu próprio propósito e graça que nos foi dada em Cristo Jesus antes dos tempos dos séculos". (2 Timóteo 1:9)
"O qual, na verdade, em outro tempo foi conhecido, ainda antes da fundação do mundo, mas manifestado nestes últimos tempos por amor de vós". (1 Pedro 1:20).
"Então dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai, possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo". (Mateus 25:34).
"De outra maneira, necessário lhe fora padecer muitas vezes desde a fundação do mundo. Mas agora na consumação dos séculos uma vez se manifestou, para aniquilar o pecado pelo sacrifício de si mesmo." (Hebreus 9:26).
"Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas". (Efésios 2:10).
"Mas, como está escrito: As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, E não subiram ao coração do homem, São as que Deus preparou para os que o amam." (1 Coríntios 2:9).


Quanto às provisões materiais/físicas, o nosso Deus é muito gracioso para com o homem. O sol e a chuva vêm sobre os justos e injustos; os talentos são distribuídos a homens justos e injustos como apraz ao Senhor; pois a sua palavra nos afirma que "Toda boa dádiva e todo dom perfeito vem do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança nem sombra de variação." (Tiago 1.17). Podemos citar aqui alguns exemplos bíblicos em que podemos verificar o cuidado misericordioso de Deus para com os homens:
AGAR- "Então se levantou Abraão pela manhã de madrugada, e tomou pão e um odre de água e os deu a Agar, pondo-os sobre o seu ombro; também lhe deu o menino e despediu-a; e ela partiu, andando errante no deserto de Berseba. E consumida a água do odre, lançou o menino debaixo de uma das árvores.E foi assentar-se em frente, afastando-se à distância de um tiro de arco; porque dizia: Que eu não veja morrer o menino. E assentou-se em frente, e levantou a sua voz, e chorou.E ouviu Deus a voz do menino, e bradou o anjo de Deus a Agar desde os céus, e disse-lhe: Que tens, Agar? Não temas, porque Deus ouviu a voz do menino desde o lugar onde está.Ergue-te, levanta o menino e pega-lhe pela mão, porque dele farei uma grande nação. E abriu-lhe Deus os olhos, e viu um poço de água; e foi encher o odre de água, e deu de beber ao menino." (Gênesis 21:14-19) 
ELIAS- "E deitou-se, e dormiu debaixo do zimbro; e eis que então um anjo o tocou, e lhe disse: Levanta-te, come. E olhou, e eis que à sua cabeceira estava um pão cozido sobre as brasas, e uma botija de água; e comeu, e bebeu, e tornou a deitar-se. E o anjo do SENHOR tornou segunda vez, e o tocou, e disse: Levanta-te e come, porque te será muito longo o caminho. Levantou-se, pois, e comeu e bebeu; e com a força daquela comida caminhou quarenta dias e quarenta noites até Horebe, o monte de Deus." (1 Reis 19:5-8); "E há de ser que beberás do ribeiro; e eu tenho ordenado aos corvos que ali te sustentem. Foi, pois, e fez conforme a palavra do SENHOR; porque foi, e habitou junto ao ribeiro de Querite, que está diante do Jordão. E os corvos lhe traziam pão e carne pela manhã; como também pão e carne à noite; e bebia do ribeiro. E sucedeu que, passados dias, o ribeiro se secou, porque não tinha havido chuva na terra.
Então veio a ele a palavra do SENHOR, dizendo: Levanta-te, e vai para Sarepta, que é de Sidom, e habita ali; eis que eu ordenei ali a uma mulher viúva que te sustente." (1 Reis 17:4-9). 
SANSÃO- "E como tivesse grande sede, clamou ao SENHOR, e disse: Pela mão do teu servo tu deste esta grande salvação; morrerei eu pois agora de sede, e cairei na mão destes incircuncisos? Então Deus fendeu uma cavidade que estava na queixada; e saiu dela água, e bebeu; e recobrou o seu espírito e reanimou-se; por isso chamou aquele lugar: A fonte do que clama, que está em Leí até ao dia de hoje." (Juízes 15:18-19).
MULTIDÕES- "Então Jesus, levantando os olhos, e vendo que uma grande multidão vinha ter com ele, disse a Filipe: Onde compraremos pão, para estes comerem? Mas dizia isto para o experimentar; porque ele bem sabia o que havia de fazer. Filipe respondeu-lhe: Duzentos dinheiros de pão não lhes bastarão, para que cada um deles tome um pouco. E um dos seus discípulos, André, irmão de Simão Pedro, disse-lhe: Está aqui um rapaz que tem cinco pães de cevada e dois peixinhos; mas que é isto para tantos? E disse Jesus: Mandai assentar os homens. E havia muita relva naquele lugar. Assentaram-se, pois, os homens em número de quase cinco mil. E Jesus tomou os pães e, havendo dado graças, repartiu-os pelos discípulos, e os discípulos pelos que estavam assentados; e igualmente também dos peixes, quanto eles queriam. E, quando estavam saciados, disse aos seus discípulos: Recolhei os pedaços que sobejaram, para que nada se perca. Recolheram-nos, pois, e encheram doze cestos de pedaços dos cinco pães de cevada, que sobejaram aos que haviam comido. Vendo, pois, aqueles homens o milagre que Jesus tinha feito, diziam: Este é verdadeiramente o profeta que devia vir ao mundo." (João 6:5-1).



Deus é Digno- E por isso não podemos tomar o Seu Santo Nome em vão. (Diz a Bíblia que naquele grande dia, "Deus não terá por inocente aqueles que tomarem o Seu nome em vão". (Êx 20.7)). Muitos perguntam: Mas, como estou tomando o Nome de Deus em vão? Tomamos o seu Santo nome em vão quando nos dizemos cristãos e não vivemos de forma coerente com o nome cristão- que significa ser verdadeiro discípulo de Cristo; viver de forma que as pessoas, ao olhar para nós, possam encontrar motivos para glorificar ao nosso Pai Celestial. Se não estamos fazendo isto, estamos tomando o seu Nome em vão. Estamos dando ao mundo razões para blasfemar contra Deus, para escarnecer do nome de servos Dele? Devemos rever a nossa postura enquanto cristãos.


Deus é aquele que se revela ao homem- Deus se revela permanentemente de forma geral a toda a humanidade. Toda a criação nos remete a um Ser Criador, perfeito, eterno e digno de ser adorado, servido, cultuado. Ninguém jamais poderá dizer-lhe: "Nunca soube da tua existência"; pois o Senhor se revela através da sua própria criação: "Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis;" (Romanos 1:20). Tudo aquilo que Deus criou grita em silêncio aos nossos olhos e ouvidos da nossa alma: "Deus existe!": "Os céus declaram a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos." (Salmos 19:1). A própria Palavra de Deus parte do pressuposto de que Deus existe. Ela não se preocupa em provar isto; mas afirma naturalmente esta verdade: "No princípio criou Deus os céus e a terra." (Gênesis 1.1). Não há aqui o que se contestar, nem vamos buscar provar isto, pois isto já é fato; por isso, além da própria proclamação do Evangelho por todos os lugares por parte do seu povo; o próprio Deus tem se revelado ao homem, dia após dia; mesmo que o homem queira negar para si mesmo aquilo que é óbvio e incontestável.
Os ateus vivem numa situação miserável; pois passam o tempo inteiro das suas vidas querendo negar o que está bem exposto para eles e para todos os homens: A existência do Deus Criador. Mas, como eu já disse certa vez, conversando com um ateu, repito: O fato de você afirmar, sem arredar o pé (como diz o nordestino) que não crê Nele, isto não o isentará do Seu Justo juízo, que está às portas; você estará também de joelhos dobrados diante do seu Trono, como toda a humanidade e terá de confessar: " Jesus Cristo é o Senhor". Podemos conferir estas verdades em Rm 14.11-: "Porque está escrito: Como eu vivo, diz o Senhor, que todo o joelho se dobrará a mim, E toda a língua confessará a Deus." E ainda em Fp 2.8-11: "E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz. Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome; Para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra, E toda a língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai.".
O próprio Deus tomou a iniciativa de revelar-se ao homem, primeiro pela sua criação, depois, como diz o autor da Carta aos Hebreus: "Havendo Deus antigamente falado muitas vezes, e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, a nós falou-nos nestes últimos dias pelo Filho." (Hebreus 1:1). O Filho é a expressão exata do Ser do Pai: "O qual, sendo o resplendor da sua glória, e a expressa imagem da sua pessoa, e sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, havendo feito por si mesmo a purificação dos nossos pecados, assentou-se à destra da majestade nas alturas." (Hebreus 1:3). O Filho encarnado revelou a glória do Pai ao mundo e inaugurou os últimos dias, os quais terão seu desfecho na volta de Cristo nas nuvens em glória. Agora que o Evangelho chegou ao mundo, já não resta alguma nova revelação: "E, quando Jesus tomou o vinagre, disse: Está consumado. E, inclinando a cabeça, entregou o espírito." (João 19:30); O véu se rasgou de alto a baixo: "E eis que o véu do templo se rasgou em dois, de alto a baixo; e tremeu a terra, e fenderam-se as pedras." (Mateus 27:51);



Deus é Meu- Quando não conseguimos ainda nos referirmos a Deus verdadeiramente como "nosso", ou como "meu", com sinceridade em oração ou para que os outros escutem, então o nosso relacionamento com Ele anda muito superficial. Devemos sentir a alegria de saber que temos íntimo relacionamento com Ele, de reconhecermos o seu senhorio sobre as nossas vidas, e assim, estaremos realmente testificando para o mundo que o conhecemos. Será que eu e você podemos dizer: "Deus é o meu Senhor!"; "Deus é o meu Salvador!"?  

Lutero disse: 
 "Muitos estão perdidos porque não podem
 usar pronomes possessivos acerca de Jesus."


Se eu fosse citar aqui todos os atributos do Deus eterno, não acabaria, pois Ele é inesgotável em glória e essência. Ele é... Ele é... Ele é Deus!

Nenhum comentário: